quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Dia de Nossa Senhora das Graças e da Medalha Milagrosa

A aparição de Nossa Senhora das Graças ocorreu no dia 27 de Novembro de 1830 a Santa Catarina Labouré, irmã de caridade (religiosa de S.Vicente Paulo). A santa encontrava-se em oração na capela do convento, em Paris (rua du Bac), quando a Virgem Santíssima lhe apareceu.

Tratava-se de uma "Senhora de mediana estatura, o seu rosto tão belo e formoso... Estava de pé, com um vestido de seda, cor de branco-aurora. Cobria-lhe a cabeça um véu azul, que descia até os pés... As mãos estenderam-se para a terra, enchendo-se de anéis cobertos de pedras preciosas ..." A Santíssima Virgem disse: "Eis o símbolo das graças que derramo sobre todas as pessoas que mas pedem...".

Formou-se então em volta de Nossa Senhora um quadro oval, em que se liam em letras de ouro estas palavras: "Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós". Nisto voltou-se o quadro e eu vi no reverso a letra M encimada por uma cruz, com um traço na base. Por baixo, os Sagrados Corações de Jesus e Maria - o de Jesus cercado por uma coroa de espinhos e a arder em chamas, e o de Maria também em chamas e atravessado por uma espada, cercado de doze estrelas. 

Ao mesmo tempo ouvi distintamente a voz da Senhora a dizer-me: "Manda, manda cunhar uma medalha por este modelo. As pessoas que a trouxeram por devoção hão de receber grandes graças.

O Arcebispo de Paris Dom Jacinto Luís de Quélen (1778-1839) aprovou, dois anos depois, em 1832, a medalha pedida por Nossa Senhora; em 1836 exortou todos os fiéis a usarem a medalha e a repetir a oração gravada em torno da Santíssima Virgem: "Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós."

Esta piedosa medalha - segundo as palavras do Papa Pio XII - "foi, desde o primeiro momento, instrumento de tão numerosos favores, tanto espirituais como temporais, de tantas curas, protecções e sobretudo conversões, que a voz unânime do povo lhe chamou desde logo Medalha Milagrosa". in EAQ


blogger

5 comentários:

Anónimo disse...

Por curiosidade:
Sendo não crente, como deverei comportar numa missa quando vou por motivos de prestar respeito a um falecido ou outra ocasião. A vida católica não me atrai, nem concordo com este estilo de vida, mas não deixarei de ir em certas ocasiões por respeito a alguém, por isso tinha curiosidade em saber como deveria comportar sendo que eu não participo nas várias actividades que se praticam durante a missa (cantar, rezar, comungar etc...)

Obrigado

Anónimo disse...

deverei.. deveria.. dever.. dever.. com respeito. da mesma forma que quando vou ao parlamento e não pratico as várias actividades parlamentares ( bla, bla, bla)..

João Silveira disse...

Caro Anónimo, deve comportar-se como os outros que lá estão o fazem, com o respeito próprio de quem está na presença de Deus.

Aqui estão algumas ideias: http://senzapagare.blogspot.pt/2014/07/como-se-deve-estar-na-santa-missa-s-pio.html

O catolicismo não é um estilo de vida, é uma relação pessoal com Deus, como Seu filho.

Anónimo disse...

Caro Anónimo
Gosto da sua atitude; é sincero e é humilde. Quanto à sua questão a resposta parece-me simples; certamente que o seu comportamento é educado, por isso a questão não me parece ser essa; parece-me que precisa sentir no silêncio do seu coração a presença de Deus e tentar fazer silêncio e ouvir e tal como fazem as crianças falar com Deus como uma criança faz com o pai: pedir e agradecer. Pedir o dom da fé para começar a compreender os mistérios da fé, sim pois a Santa Missa é um mistério que a razão humana não consegue compreender; peça também o auxilio de Nossa Senhora que é medianeira de todas as graças.

Conceição Rosário disse...

Caro Anónimo
Gostei da sua sinceridade e humildade. Julgo que a sua questão não tem tanto a ver com o comportamento na Igreja mas antes com o seu sentir. Em relação a isso aconselho-o a fazer silêncio no seu coração e a dirigir-se a Deus como um filho faz com o pai; pedir, agradecer. Deixe-se conduzir por Ele e peça o dom da fé para poder compreender os mistérios sagrados e os poder saborear e vivenciar; A missa essencialmente compõe-se de 3 partes; 1º-pedir perdão das nossas faltas( aqui, fazer um exame de consciência e arrepender-se). 2º-leituras da palavra de Deus do do Antigo e Novo Testamento e Homilia ou pregação do sacerdote(aqui, escutar a palavra perguntar-se como aplica-la na vida e o que é que essa palavra lhe diz a si); 3º Eucaristia( aqui acontece o grande mistério pois por ação do Espirito Santo o pão e vinho transformam-se em corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo; aqui a reverência deve ser grande pois estamos na presença real de Deus; devem os fiéis ajoelhar-se) acho que me alonguei mas espero ter ajudado. aconselho a pesquisar na net Milagres eucarísticos e terá algumas surpresas. Peça o auxilio de Nossa Senhora para melhor compreender tudo isto. Que deus o abençoe.