sábado, 25 de outubro de 2014

Os pecados veniais fecham a porta aos dons do Espírito Santo

Como é possível que muitas pessoas, depois de terem vivido quarenta ou cinquenta anos em estado de graça e recebido com frequência a Santa Comunhão, quase não dêem sinal da presença dos dons do Espírito Santo na sua conduta e nos seus actos, que se irritem por tudo e por nada e levem uma vida completamente longe do sobrenatural? 

Tudo isto provém dos pecados veniais que com frequência cometem sem nenhuma preocupação; estas faltas e as inclinações que daí derivam tornam estas almas inclinadas à terra e mantêm como que atados os dons do Divino Espírito, como asas que não se podem abrir. 

Tais almas não guardam nenhum recolhimento; nem estão atentas às inspirações do Espírito Santo, que passam inadvertidas; por isso permanecem na escuridão, não das coisas sobrenaturais e da vida íntima de Deus, mas na escuridão inferior que se enraíza na matéria, nas paixões desordenadas, no pecado e no erro; aí está a explicação de sua inércia espiritual. 

A estas almas se dirigem as palavras do salmista: "Hodie si vocem eius audieritis, nolite obdurare corda vestra" (Se hoje ouvirdes a Sua voz não fecheis os vossos corações) - Salmo 94, 8 


Pe. Reginald Garrigou-Lagrange in 'Las Tres Idades de La Vida Interior'


blogger

1 comentário:

Anónimo disse...

Gostei. Apenas uma nota: Não deixa de ser irónico o emprego da palavra Oxalá, proveniente do árabe Insh'Allah, que se traduz por "Queira Alá".