sábado, 13 de junho de 2015

Sermão de Santo António aos peixes - Pe. António Vieira

Pregava Santo António em Itália na cidade de Arimino, contra os hereges, que nela eram muitos; e como erros de entendimento são difíceis de arrancar, não só não fazia fruto o santo, mas chegou o povo a se levantar contra ele e faltou pouco para que lhe não tirassem a vida. 


Que faria neste caso o ânimo generoso do grande António? Sacudiria o pó dos sapatos, como Cristo aconselha em outro lugar? Mas António com os pés descalços não podia fazer esta protestação; e uns pés a que se não pegou nada da terra não tinham que sacudir. Que faria logo? Retirar-se-ia? Calar-se-ia? Dissimularia? Daria tempo ao tempo?

Isso ensinaria porventura a prudência ou a covardia humana; mas o zelo da glória divina, que ardia naquele peito, não se rendeu a semelhantes partidos. Pois que fez? Mudou somente o púlpito e o auditório, mas não desistiu da doutrina."


in Sermão de Santo António aos peixes, Capítulo I (Vos estis sal terrae)

Pregado na cidade de São Luís do Maranhão no ano de 1654, pelo Padre António Vieira, três dias antes de embarcar ocultamente para Lisboa, à procura de remédio para salvação dos índios. 


blogger

Sem comentários: