terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Neto de Tolkien relembra como o escritor reagiu à Missa em inglês

Recordo-me perfeitamente de ir à Missa a Bournemouth com o meu Avô [J.R.R. Tolkien], que era um católico romano devoto. Foi logo após a Reforma Litúrgica, quando nas igrejas mudaram a liturgia do latim para o inglês. O meu Avô, obviamente, não concordou com isso e dava todas as respostas muito alto em latim enquanto o resto das pessoas respondia em inglês.

Eu achei toda a experiência bastante aflitiva, mas o meu Avô nem percebia. Ele simplesmente tinha que fazer o que acreditava estar certo. Ele herdou a sua religião da sua Mãe, que foi ostracizada pela sua família após a sua conversão (do anglicanismo ao catolicismo) e depois morreu na pobreza quando o meu Avô tinha apenas 12 anos. 

Simon Tolkien


blogger

2 comentários:

Anónimo disse...

Este texto tem por objetivo o sr Tolkien corroborar de como se deve continuar a “recitar o latim” nas missas atuais ainda que a maioria não perceba patavina? Pretende-se que a assistência entenda por osmose. Não é para entender? É para intuir? Já sei, é só para canalizar as energias para o alto!!!
Claro que é pouco assertivo responder em latim quando todos respondem em inglês, não sendo este comportamento exemplo para ninguém nem mesmo vindo do Sr Tolkien. Numa coisa estou de acordo, devemos sempre fazer aquilo em que acreditamos, é uma das maiores verdades, eu sigo-a, apesar de saber que muitos gostariam de me impedir, nisso eu e o Sr. Tokien somos iguais !

antónimo disse...

a missa em latim contribuiria para aumentar a cultura. penso que hoje em alguns lugares do mundo, como na união européia, pode voltar a fazer sentido.