quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

A aparição de Maria a César Augusto no Natal


O reinado romano de César Augusto foi uma era de paz, prosperidade e felicidade. Augusto fez um censo imperial durante esta era de paz, durante o qual fechou o templo de Janus pela terceira vez, no quarto ano do seu reinado. O Príncipe da Paz iria nascer neste parêntesis histórico de paz. De acordo com S. Beda, o Venerável, "amante da paz, Ele nasceria no tempo mais sossegado. E não poderia haver indicação mais directa de paz do que um censo feito por todo o mundo, cujo mestre era Augustus, que reinava no tempo da natividade de Cristo há alguns doze anos, na maior paz, a guerra tinha sido embalada num sono por todo o mundo."

A tradição diz que Caesar Augustus aprendeu do oráculo da sibila [profeta] tiburtina que uma criança hebraica iria silenciar todos os oráculos dos deuses romanos. A tradição também registou que a Santíssima Virgem Maria, segurando Cristo Menino nos seus braços, apareceu a Caesar Augustus na colina capitolina. Augustus reconheceu que esta visão correspondia ao oráculo que falava da criança hebraica. Em resposta a esta aparição de Maria e Jesus, Augustus construiu um altar no capitólio em honra desta criança com o título Ara Primogeniti Dei, que significa "Altar do Primogénito de Deus". Mais de trezentos anos depois, o imperador cristão Constantino o Grande construiu uma igreja nesta localização da aparição e do altar, chamada Basilica Sanctae Mariae de Ara Coeli, que significa "Basílica de Santa Maria do Altar do Céu."

Se alguém visitar a igreja hoje irá ver os murais de Caesar Augustus e da sibila tiburtina pintados em ambos os lados do arco por cima do altar. Estas imagens fazem lembrar o oráculo que profetizara a vinda do "Primogénito de Deus" hebraico. No século XV, esta igreja tornou-se famosa por uma estátua de Cristo Menino esculpida com madeira de oliveira tirada do Jardim do Getsemani, fora de Jerusalém.  A ligação da igreja ao nascimento de Cristo tornou-a num lugar adequado à devoção à infância do Salvador.

Entretanto, no bairro judaico de Roma, no dia da natividade de Cristo, uma fonte de óleo surgiu do chão numa taberna de um certo homem num sítio chamado hoje Trastevere - a região a Sul do Vaticano e a Oeste do rio Tibre. Esta fonte de óleo revelou aos judeus de Roma que o Messias tinha finalmente nascido, visto que Messias ou Cristo significa "ungido com óleo". Até este mesmo dia, a Igreja de Santa Maria de Trastevere marca o local. O Imperador Septimius Severus, que reinou de 193 a 211 A.D., deu o local aos Cristãos. No ano 220 A.D., o Papa São Calisto I transformou o sítio numa igreja e as suas relíquias ainda lá estão, debaixo do altar principal. A igreja foi reconstruída várias vezes e ainda se pode mesmo visitar hoje.

Existem apenas um par de ligações interessantes entre Cristo e Roma. Taylor Marshall


blogger

2 comentários:

Nuno CB disse...

Muito bom! Até apetece comprar o livro do Taylor Marshall como guia de Roma

Regina Botas disse...

Interessante...