terça-feira, 22 de outubro de 2013

Doze maneiras para um Padre determinado renovar uma paróquia


Há pouco tempo atrás, fiz um 
artigo sobre doze reformas realistas que o Magistério Católico podia implementar agora para pôr a Igreja a caminho de uma reforma autêntica. Um amigo disse-me que este artigo, apesar de interessante de um ponto de vista especulativo, era, em última análise, inútil, porque em última análise significava esperar para o Magistério fazer algo. Este amigo sugeriu que a reforma era muito mais fazível ao nível das paróquias e encorajou-me a olhar para maneiras em que a reforma fosse implementada de baixo para cima.

Em última análsie, o meu primeiro artigo não era mais que um exercício intrigante de pensamento. Neste, por outro lado, proponho um modelo concreto para como a vossa paróquia Católica típica e sem sabor, sob a administração de um padre disposto, se possa transformar num verdadeiro bastião de ortodoxia e renovamento espiritual. Para esse fim, estes doze passos para a reforma da paróquia são primariamente direccionados a sacerdotes, especificamente novos sacerdotes a chegar a uma nova paróquia onde o amor pela tradição ainda não teve oportunidade de ser aumentado. Assim, este post dirige-se a padres inclinados para a tradição numa paróquia Novus Ordo não-tradicional. A paróquia talvez tenha uma disposição moderna; as Missas podem ter sido caracterizadas por música com guitarra e homilias aborrecidas sem nenhum conteúdo; a Eucarista foi varrida para uma capela lateral. Vocês conhecem este tipo de sítio.

Uma última coisa: enquanto que o meu último post oferecia doze sugestões sem nenhuma ordem particular, estes doze estão ordenados sequencialmente, portanto esta é a ordem que eu proponho para estas reformas serem implementadas. Eu sei que alguns vão dizer que a sequência não interessa para nada, façam tudo de uma vez e despachem isso, mas temos que ter em conta a nossa realidade presente e lembrar que o nosso objectivo é converter e santificar almas mornas e não levá-las para fora da Igreja e transformar a paróquia num enclave tradicionalista. Enquanto que há certas práticas que nunca devem ser toleradas, há outras coisas que algumas vezes temos que suportar por algum tempo para nos focarmos em assuntos maiores. Proponho um calendário de um a dois anos para implementar todas as mudanças descritas em baixo; algumas acontecerão em paralelo a outras; algumas podem ser feitas de acordo com a iniciativa do próprio padre, outras irão necessitar algum planeamento e ajuda de outros, mas todas podem ser feitas e nenhuma é irrealista.

1) Pôr o Sacrário de novo ao centro do altar e mover o altar contra a parede: Na maior parte das paróquias, que têm uma mesa de altar e um sacrário portátil localizado numa capela lateral, isto não será fisicamente difícil de fazer. Pode ser feito com a discrição do sacerdote e pode ser ocasião de alguma catequese sobre o sacrifício Eucarístico, o culto ad Deum, e os fins da Missa. Também não precisa de demorar muito. Anunciem numa semana, façam-no na seguinte e preguem sobre os tópicos mencionados acima nos próximos dois Domingos. Feito. Quanto à velha capela lateral, transformem-na numa capela mariana, talvez com uma imagem de Nossa Senhora de Czestochowa ou de Guadalupe lá dentro e promovam-na como um lugar para a recitação do Terço em comunidade. Missa ad Deum com um sacrário no altar deve ser a primeira coisa. Além disso, se a paróquia tem um "Ressurefixo", este devia ser imediatamente substituído por um crucifixo legítimo.

2) Contratem um director musical competente em canto e substituam imediatamente os "cânticos de entrada" com canto gregoriano, assim como os "cânticos de comunhão" com intróitos cantados e antífonas de comiunhão
: Isto, mais uma vez, é feito com a discrição do pastor. Não nos leva inteiramente onde precisamos de estar, mas introduz a assembleia ao canto gregoriano, promove a prática da reflexão em silêncio e da oração durante a Comunhão (visto que não vão estar a cantar durante a antífona da comunhão) e permitam ainda uns poucos "cânticos" para cantar de forma a que a transição não seja tão abrupta (os famosos "hino de ofertório" e "cântico de saída"). O director de música também devia trabalhar em conjunto com o pastor para deitar fora qualquer hino mais fraco que a paróquia provavelmente esteja a usar e substituí-lo com alguma coisa mais tradicional.

3) Preguem sobre o Sacramento da Penitência: Na maior parte das paróquias Católicas, o sacramento da penitência é sub-utilizado, um facto que é reforçado pela negação do sacerdote em pregar sobre isso, publicitar o sacramento ou insistir que o seu rebanho o devia usar. Se, no entanto, for pregada a necessidade da penitência e as confissões se tornarem disponíveis, está provado que as pessoas vão. As confissões deviam ficar disponíveis pelo menos dois dias por semana, mas idealmente mais vezes e durante, pelo menos, um hora e meia a duas horas. Lembrem-se "O meu povo perece por falta de conhecimento" (Os 4:6).

4) Exposição semanal e benção com o Santíssimo Sacramento
: As paróquias que têm o sacramento relegado para a capela lateral normalmente não são fortes em devoções eucarísticas. Mas, visto que a Eucaristia é o coração da fé, todo o tipo de restauração da fé tem que ser acompanhada pela devoção eucarística. No início as pessoas não vão estar lá para uma exposição de 24 horas; não tem problema. Exponham às 17:00 de Sexta-feira e dêem a Benção às 19:30. A exposição-benção também dá ao sacerdote um pequeno "laboratório" para testar os hinos e orações em latim com um pequeno grupo de fiéis sem ter que o fazer para a congregação inteira. Dá ao sacerdote uma ideia do quão difícil será para o seu rebanho fazer a transição para o Latim e, mais ainda, para identificar as pessoas dentro da paróquia que são mais simpatizantes às orações e devoções tradicionais. Estas pessoas serão o baluarte dos seus esforços.

5) Promovam a devoção Mariana
: Os hereges e progressistas detestam a Santíssima Virgem Maria; e não é de estranhar, porque a oração de consagração total de DeMonfort diz que Maria é a destruidora de heresias pelo mundo inteiro. Promover a devoção Mariana, para além de dar um amor que é próprio à nossa Santíssima Mãe, tem o efeito pedagógico de promover nos fiéis uma grande atenção ao papel da graça na vida espiritual. Assim, serve de antídoto para o activista que destaca o "pelagianismo" focado nas boas obras de que temos tanto ouvido falar ultimamente. O tipo de devoção Mariana pode variar de lugar para lugar; Terços depois da Missa diária comandados pelo padre, devoções a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro às Terças, Coroas de Maio, imposição do Escapulário, oferecer todos os anos a Consagração Total, acompanhados de uma homilia catequética sobre a devoção Mariana. As oportunidades são numerosas e os benefícios vastos.

6) Promovam um armazém de comida muito activo
: Enquanto que a maior parte das paróquias têm uma espécie de banco familiar, muito poucas têm verdadeiramente um armazém de comida. O padre da paróquia devia lutar para promover no seu povo um amor ao serviço, mas vindo de um amor sincero a Deus e ao próximo, baseado na devoção a Cristo, não em quaisquer valores humanos perdidos. O armazém de comida da paróquia devia ser um centro de assistência aos pobres e a paróquia devia cultivar uma reputação pela caridade e pelo cuidado com o corpo e a alma. O sacerdote pode também usar isto como meio para dar catequese às pessoas sobre como as obras corporais e espirituais de misericórdia estão feitas para se completarem uma à outra e não deviam estar em oposição.

7) Adoptem um currículo do Rito de Iniciação de Catequese para Adultos (RICA) que alimente o intelecto e o espírito e não as emoções:
 Os programas do RICA na maior parte das paróquias são abismais. Digam ao vosso instructor do RICA ou chefe de catequese para mudar para um programa que se concentre mais na formação intelectual e espiritual e menos na partilha de experiências. Isto, para além de ser mais em linha com a Tradição Católica, vai tornar a experiência do RICA mais rica para os catecúmenos e vai até ganhar novas conversões com o tempo e de melhor qualidade. Se não sabem onde arranjar bons materiais para o RICApodem começar aqui com as notas e tópicos grátis do Unam Sanctam Catholicam

8) Preguem coisas exigentes
: Enquanto que os paroquianos não gostam de levar na cabeça com densas homilias tomistas ou ruminações teológicas sobre a precessão das Pessoas dentro da Trindade, o sacerdote devia maximizar o poder do pulpito ao pregar sobre assuntos que as pessoas precisam desesperadamente de ouvir: o carácter único de Jesus Cristo, a realidade do pecado, a vida da graça, a inevitabilidade do julgamento, o santo exemplo dos Santos, a realidade dos anjos, a necessidade de entrar na Igreja, etc. Eu também destacaria como pregação obrigatória a natureza intrinsecamente desordenada dos actos homossexuais e a incompatibilidade de estilos de vida homossexuais activos com o Cristianismo, assim como a incapacidade dos homossexuais para o sacerdócio.

9) Ofereçam as instalações da vossa Paróquia para um grupo de Homeschool [N.T.: Ensino básico em casa e não na escola] e encorajem-nos: Querem ver a vossa paróquia explodir em vivacidade? Ofereçam as vossas instalações a um grupo local de organização de homeschool, ofereçam-se para rezar a Missa para eles uma ou duas vezes por semana e façam com que se espalhe que a vossa paróquia é amiga dos que estudam porhomeschool. Depois sentem-se e vejam o que acontece uma vez adicionado o fermento.

10) Rezem o cânone eucarístico em Latim e ensinem à assembleia as partes da Missa em Latim:
 Depois de a assembleia se habituar a ouvir o latm nas antífonas de intróito e Comunhão, apresentem-lhes o latim no cânone Eucarístico. Depois, semana após semana, ou talvez de mês em mês, dependendo do seu grau de capacidade e/ou resistência, ensinem-lhes as partes da Missa em latim. Não sejam apologetas em relação a isso; não dêem o ar de que precisa de ser explicado ou batido até à morte - sejam simplesmente indiferentes; usem a aproximação de, "Isto é o que a Igreja, os papas e o Vaticano II nos pediram, por isso nós vamos fazê-lo!" Apesar de não estar estritamente relacionado com isto, visto que estamos a falar da Eucaristia, também gostava de recomendar demitir todos os Ministros Extraordinários. Vocês não precisam mesmo deles e não estão a fazer nenhum favor a ninguém se os mantiverem a todos lá por medo de magoar os sentimentos de alguém. E enquanto estamos nisto, façam tudo o que conseguirem para limitar o serviço de altar (acólitos) só a rapazes; eu digo "tudo o que conseguirem" porque em algumas dioceses o bispo especificamente ordena que seja concedido às raparigas servir o altar e não permite que padres dispensem acólitas por regra. Façam o que puderem.

11) Tornem bonito (ou menos feio) a Capela-mor da Paróquia
: Depois de o padre já lá ter estado por um bocado e a congregação saber que tipo de coisas esperar dele, chegou provavelmente o tempo de começar a angariar fundos para substituir aquelas janelas de vidro,  coloridas e feias, minimalistas e modernas por alguns vitrais tradicionais. Então e substituir o ambão de madeira clara com um púlpito todo ornado de mármore? Comecem uma campanha para pedir doações e substituam aqueles bancos modernos, macios e sem genuflectório por uns bancos mais tradicionais com genuflectórios. Tirem a carpete da zona da capela-mor à volta do altar e substituam-na por madeira, azulejo ou mármore. Pensem em comprar alguns vasos ornamentados. Ou, se os fundos e a arquitecutura permitirem, arranjem alguns corrimões de comunhão. Não precisam de os usar já. Podem apenas instalá-lo lá por questões estéticas e começarem a usá-las sempre que estiverem prontos. Também vos permite oferecer a Forma Extraordinária (FE).

12) Ofereçam a forma extraordinária da Missa pelo menos um Domingo por mês e mais durante a semana e os dias de festa:
 Bento XVI previu que o grande conteúdo da Missa antiga se iria alastrar para a celebração do Novus Ordo e que o NO seria mais enriquecido pela FE. No fim, isto é para onde a restauração completa da vossa vida de paróquia tende: chegar aos fiéis com a Missa de sempre, que eventualmente levará a novos níveis de crescimento espiritual e maturidade, se for feito apropriadamente. Crescer em santidade com a Missa Tradicional. in 
unamsanctamcatholicam


blogger

17 comentários:

Anónimo disse...

Impecável!

António Cerca disse...

A seguir à aplicação destas 12 propostas constataremos um dado: a igreja fechou, pois o pessoal foi a "outras".
Gastamos dinheiro e outros meios para formar padres e pastoralistas desta índole. Não há pachorra para tal peditório.
De facto o papa Francisco tem pela frente uma missão ciclópica. Cristo o acompanhará, não tenho dúvidas.

Ana Moreira disse...

Nem queria acreditar no que li!!! É de tal maneira retrogrado que nem consigo imaginar a idade do blogger.

Por favor, a Igreja tem que se preocupar com o povo de Deus e não ficar agarrada a ritos do século passado.

Espero que o Senhor conceda muitos anos de vida ao Papa Francisco porque realmente precisamos de uma mudança drástica de atitude.

João Silveira disse...

Realmente onde é que já se viu a recomendação que as pessoas se confessem ou que rezem a Nossa Senhora. Ai que retrógrados! Qualquer dia também querem que acreditemos que Jesus Cristo está mesmo na Eucarista, não? Fascistas!

Anónimo disse...

Posso não concordar com o texto. Mas o último cometário é de quem tem pouca prática de vida religiosa e Sacramental. É lembrado o pedido que Nossa Senhora fez para que rezem o terço todos os dias.
«Não querem que acreditemos». Jesus Cristo está realmente presente na Eucaristia. Já agora essa de "Fascistas", não entendi. Que Jesus Cristo lhe dê o dom do Entendimento

Anónimo disse...

Um anónimo disse:- Impecável.
Eu não sei o que hei-de dizer, francamente. Ser sacerdote de uma paróquia é muito mais profundo e mais rico do que tentar as receitas do vizinho do lado. Será que ainda não perceberam que quem dirige cada Sacerdote é O próprio Jesus? Quem chama o povo é o Espírito Santo?
Nós somos as ovelhas do Senhor e foi por rapazes e raparigas, acólitos ou não que Jesus morreu cruxificado. Os Ministros Extraordinários da comunhão, não os julguem porque a tarefa que Nosso Senhor lhes pede não é tão fácil como podem pensar. É uma obra de Misericórdia maravilhosa que só vai edificar e santificar mais a comunidade.
Que tudo se faça na igreja com a plena obediência a que cada um está obrigado.

Maria de Fátima disse...

Caro João, eu entendi bem a sua ironia e fez-me rir.
E, sim, falta determinação muitas vezes na Igreja.

Tudo Pela Nação Nada Contra A Nação disse...

Parabéns Pelas Doze Recomendações Para a Renovação de Uma Paróquia.Rezemos Para Que As Mesmas Possam Ser Seguidas.Miguel Teixeira E Melo.

Anónimo disse...

Esta renovação das paróquias é muito semelhante ao que foi feito no sec XX em França. Parece que o Bispo responsável por tal mudança começou por renovar o próprio seminário. Daí, até ordenar ilicitamente 4 bispos foi um pequeno passo. Parece que ainda são cismáticos.

João Silveira disse...

Obrigado Maria de Fátima. Alguém que perceba o humor :)

João Silveira disse...

Obrigado Miguel! Um abraço para a família

João Silveira disse...

Caro Anónimo, se bem me recordo, o problema nesse caso foi exactamente a falta de "renovação".

Diogo na Escócia disse...

O altar virado para a parede? E o padre a falar para a parede em vez de para o povo de Deus! Oh João, isso é na brincadeira, não?

Anónimo disse...

Diogo, antes do altar virado para a parede está "Pôr o Sacrário de novo ao centro do altar"
Sabe quem está no Sacrário? Quer algum esclarecimento?

Anónimo disse...

E se nos deixássemos de mitologias, religiões e outras confissões e nos dedicássemos à realidade, à cidadania, ao conhecimento, à razão e à lógica do Universo?

João Silveira disse...

E se nos deixássemos de ser maçons?

Unknown disse...

A caminho de uma nova "Fraternidade Sacerdotal de S. Pio X", mas desta vez à portuguesa!
Sugiro a igreja que está ao lado da C. M. de Lisboa, sempre vão lá ter carros dentro!!
Impecável!