quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

As aparições de Nossa Senhora de Lourdes

No dia 8 de Dezembro de 1854 o Papa Pio XI proclamou solenemente no Vaticano o dogma da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, concebida sem pecado original. Algo que em 1830 Nossa Senhora já tinha mostrado a Santa Catarina Labourè, quando mandou que ela cunhasse a chamada “Medalha Milagrosa”, na aparição a ela na rue du Bac, em Paris. Em torno da medalha, Santa Catarina viu em letras de ouro a expressão: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós”.

No dia 11 de Fevereiro de 1858, quatro anos depois, Nossa Senhora começou a aparecer a uma menina de 14 anos, Bernadette Soubirous, simples e humilde, que não sabia ler e escrever como deve ser, nem falava francês mas apenas um dialecto da região. Ela estava com uma irmã e uma vizinha a apanhar lenha perto da gruta de Massabielle. Tinham que passar descalças por um córrego, e Bernadette, que sofria de asma, não queria pôr os pés na água fria. Nisso ouviu um barulho nas árvores e viu uma Senhora muito bonita, radiante, vestida de branco, com uma faixa azul, que sorria para ela. De seguida rezou o Terço com Bernadette.

A irmã de Bernadette contou o ocorrido aos pais. Eles proibiram que ela voltasse à gruta. De tanto chorar os pais deixaram-na voltar. Uma nova aparição aconteceu no dia 18 de Fevereiro. Bernadette aspergia a rocha com água benta onde a Senhora apareceu e esta lhe sorria. Depois disse-lhe: “Queres ter a bondade de vir aqui durante quinze dias? Não te prometo a felicidade neste mundo, mas no outro.” Durante as aparições a Senhora pediu para que se rezasse pelos pecadores e convidou os fiéis à penitência.

No dia 25 de Fevereiro Nossa Senhora fez brotar uma fonte de água no chão, e convidou Bernadette a beber dessa fonte; surgiu do chão que ela cavou com as mãos. Esta fonte tornou-se a fonte milagrosa onde os peregrinos do mundo todo se banham e muitos já foram curados. Há uma equipa de médicos de várias especialidades que já confirmou muitas curas milagrosas.

Nossa Senhora pediu a Bernadette que queria ali uma igreja para dali distribuir as suas bênçãos. A vidente foi falar com o pároco de Lourdes, mas este não acreditou nela e pediu que Bernadette dissesse o nome desta Senhora que lhe aparecia, que sem isso não faria nada.

Na última aparição, então, Nossa Senhora disse a Bernadette em francês: “Je sui l'Immaculée Concepcion” (Eu sou a Imaculada Conceição). Bernadette não percebeu, pensou que Nossa Senhora tivesse dito: “Eu sou Maria”. Para não se esquecer foi até o pároco, sempre a repetir a frase em francês para não esquecer, até ser atendida pelo pároco. Este apanhou um susto quando Bernadette disse o nome da Senhora, porque ele sabia que Bernadette não tinha condições para inventar aquilo. O pároco acreditou, o bispo acreditou e hoje temos ali um dos mais belos e concorridos Santuários marianos do mundo, com muitos milagres e muitas conversões.

Apenas 4 anos antes, o Papa Pio XI tinha proclamado o dogma da Imaculada Conceição, e Nossa Senhora veio, em pessoa, confirmar o dogma e dar-nos a certeza de que o Papa não erra quando pronuncia uma sentença definitiva de Fé.

No início houve uma proibição da parte das autoridades para que o povo visitasse o lugar, mas depois o imperador Napoleão III consentiu o acesso à gruta. Peregrinos de todas as partes do mundo procuram em Lourdes não só milagres para a cura das doenças do corpo, mas a cura da alma e a paz de espírito.

Nossa Senhora é Mãe de Jesus e nossa Mãe, por isso se preocupa com os seus filhos no mundo todo. Por isso aparece onde Jesus permite, não para nos trazer novas revelações, mas para nos pedir que vivamos conforme a vontade de Deus, afastados dos pecados, e que tenhamos uma vida de oração e de penitência pela nossa conversão e pela conversão dos pecadores afastados de Deus.

Prof. Felipe Aquino


blogger

Sem comentários: