sexta-feira, 5 de abril de 2013

A simplicidade dos relatos extraordinários - G.K. CHesterton

Se Moisés tivesse dito que Deus era a Energia Infinita, eu não teria a menor dúvida de que ele não havia visto nada de extraordinário. Porém, como ele disse que Deus era um arbusto em chamas, creio que é muito provável que contemplara realmente algo extraordinário.

Quando o céptico instruído declara: "As visões do Antigo Testamento eram locais, rústicas e grotescas", nós contestamos: "Naturalmente, pois eram genuínas". Se existisse um ser como Deus, e se Deus falasse com uma criança num jardim, a criança naturalmente diria que Deus vive no jardim e isso não me pareceria menos provável que fosse certo. 

Mas se a criança dissesse: "Deus está em todas as partes; é uma essência impalpável que envolve e sustenta todos os componentes do cosmos", se, digo eu, a criança se dirigisse a mim nesses termos que citei, inclinar-me-ia a pensar que era muito mais provável que tivesse estado com a professora do que com Deus.


blogger

Sem comentários: