domingo, 23 de junho de 2013

O Papa Francisco e o Concílio Vaticano II

O Papa Francisco corre o sério risco que lhe façam o que fizeram ao Concílio Vaticano II. Enquanto decorria o Concílio, e ainda mais depois de ter ocorrido, foi-se formando um “Espírito do Concílio”. Este era constituído por um grupo de pessoas que queria uma Igreja feita à sua maneira, e não à maneira de Jesus. Sendo assim, usava o nome do Concílio para justificar todas as mudanças que queria implementar, dizendo que correspondiam ao “Espírito do Concílio”. No entanto toda a sua ideologia ia frontalmente contra os textos do Concílio, que eram completamente desprezados por estes “visionários”.


Com o Papa Francisco está a acontecer a mesma coisa. Há o Papa Francisco: com toda a sua simpatia, os seus gestos para com as pessoas, muitos deles inéditos, as suas palavras fortes e que nos interpelam à conversão do coração. Depois há o “Espírito do Papa Francisco”, ou seja os que se querem aproveitar do Papa Francisco para justificar a sua desobediência, a sua imoralidade ou a sua falta de fé em Jesus Cristo e na Sua Igreja. Estes dois “Espíritos” têm algo em comum: são o exacto oposto de quem dizem representar.


blogger

2 comentários:

ASCENDENS ASCENDENS disse...

Como sempre, não se coloca a possibilidade de o Papa ter já emitido falsas doutrinas.

A onda que tem o Papa por alguém que não se engana só pode ser idolátrica.

Por mais que o Papa diga ou faça, a referência é o que a Igreja sempre ensinou e transmitiu, e é por isso que todos os Papas se regem quando, por exemplo, excomungam algum dos seus antecessores.

Maria Batista disse...

Esse tal "espírito do concílio"
é aquilo a que eu chamo O PREC na igreja que teve início como dizem durante o concílio e que graças a Deus começa a terminar.Pena que tantos se tenham perdido pelo caminho....
Nota (Prec. significa processo revolucionário em curso)