sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

A canonização de Nelson Mandela

Nelson Mandela foi declarado ‘Santo Subito’ nas redes sociais. Após a sua morte, multiplicaram-se os elogios ao ex-Presidente da África do Sul, muitos deles por parte de católicos.

Mandela foi considerado um herói depois de ter lutado durante décadas pelo fim do Apartheid. Esteve preso durante 26 anos e foi determinante na transição para a democracia, tendo dado um bom exemplo perdão e convivência pacífica com os brancos da África do Sul.

Em 1994 tornou-se Presidente da África do Sul, com 62% dos votos. Os primeiros tempos foram passados a tentar equilibrar um país com feridas recentes de discriminação racial e uma democracia em fase embrionária.

Apenas dois anos depois, em 1996,  assinou a liberalização do aborto, através da "Choice on Termination of Pregnancy Act". Esta foi considerada uma das leis mais liberais do mundo em relação ao aborto: 

- Até às 12 semanas o aborto é feito a pedido, sem qualquer justificação necessária;
- Das 12 às 20 semanas não há praticamente nenhuma restrição, o aborto é possível por problemas mentais ou físicos da mulher ou ainda por problemas económicos;
- A partir das 20 semanas por motivos mais graves.

É evidente a monstruosidade desta lei, pela qual Nelson Mandela é directamente responsável. Segundo números oficiais, entre Agosto de 2012 e Julho de 2013 foram feitos 85302 abortos em hospitais públicos da África do Sul.

É no mínimo irónico que alguém que passou grande parte da sua vida a lutar contra a discriminação de pessoas consoante a sua cor de pele tenha assumido como seu o dever de discriminar pessoas apenas porque (ainda) estão dentro da barriga da mãe.

Escrevo este artigo politicamente incorrecto por dois motivos:

- Porque as vítimas inocentes desta lei criminosa de Mandela merecem que lhes seja feita justiça. Estamos a falar de centenas de milhares de seres humanos na fase mais frágil da vida (pela qual todos passámos) e que foram mortos por quem os devia proteger. 

- Porque enquanto estão todos ocupados a canonizar Nelson Mandela ninguém está preocupado em rezar por ele. E neste momento precisa mais disso do que de elogios.

João Silveira


blogger

7 comentários:

Anónimo disse...

Fantástico.
Um artigo totalmente assente na razão e não nas emoções e reacções primárias que surgem quando se olha para os feitos de Nelson Mandela (muitos deles dignos de louvor, sem dúvida!)

Anónimo disse...

Para já não falarmos nos muitos mortos pelos quais ele e o ANC dele foram responsáveis incluindo um autentico genocídio do povo branco sul africano,situação essa totalmente sonegada pelos media. Assassinatos,espancamentos,e total discriminação no acesso a empregos,cargos etc. Nelson Mnadela foi até 2008 considerado um terrorista pelos EUA e muitos outros países. Santo???? PELO AMOR DE DEUS!!!

Manuel Pedro Lúcio disse...

Já agora Srs defensores do povo branco , Onde estavam e estão para criticar o genocídio e racismo do povo branco da África do Sul contra os não brancos durante décadas ou séculos ? Tomara cada um de nós fazer pelos outros metade do que o homem fez. Depois do que passou fez a paz no seu povo , e o que podia ter feito ? EUA ? Será que este pais é exemplo para alguem ? Só se houver petroleo é que vão . è mentira ou realidade ? Onde estavam no Ruanda ? Que deixaram fazer ? Na antiga Jugoslávia ?

João Silveira disse...

Espero que os "defensores do povo branco" lhe respondam, mas não sei se por aqui vai encontrar algum. Nós por cá defendemos todos, especialmente os que mais precisam.

Anónimo disse...


E como comenta os elogios sem sombras feitos pelo Papa Francisco?

Saudações,
Júlio Rodrigues

Anónimo disse...

É que o Papa afirmou rezar, não pela alma de um homem que foi de um «empenho inabalável na defesa da dignidade humana" mas sim para que o seu exemplo fosse seguido : “Rezo para que o exemplo do antigo presidente inspire gerações de sul-africanos a colocar a justiça e o bem comum diante das suas aspirações políticas”. Não é sóesta economia que mata, este desacordo de tantos católicos com a voz do Papa também pode ser mortal.

Júlio Rodrigues

Antónimo disse...

"Ao encomendar a alma do falecido à infinita misericórdia de Deus todo poderoso, peço ao Senhor que console e fortaleça todos os que fazem luto por ele."

Papa Francisco