sexta-feira, 11 de julho de 2014

A homossexualidade não é compatível com o sacerdócio - Papa Bento XVI

A homossexualidade não é compatível com o sacerdócio. Se não, o celibato como renúncia também não teria sentido. Seria um grande perigo se o celibato se transformasse numa oportunidade para introduzir no sacerdócio pessoas que não se querem casar, já que, por alguma razão, a sua posição perante o homem ou a mulher está modificada, está alterada, não se encontra em todo o caso orientada no sentido da criação de que falámos.

A Congregação do Ensino adoptou há uns anos uma regra segundo a qual não é permitido que candidatos homossexuais sejam ordenados padres, porque a sua orientação sexual os distancia do seu sentido de verdadeira paternidade, da essência do sacerdócio. A selecção dos candidatos ao sacerdócio deve ser muito cuidadosa. Aqui, deve prevalecer a maior atenção, para que um equívoco deste tipo não penetre e, no final, leve identificar o celibato dos padres com a tendência para a homossexualidade.

in Luz do Mundo, entrevista de Peter Seewald a Bento XVI, p.148


blogger

2 comentários:

Anónimo disse...

Qual é o teu problema? Que eu saiba, um padre ordenado é como se "morresse" para a vida que tinha para recomeçar do zero! uma vida de amor e serviço ao próximo! Sabes lá tu a quantidade de padres gays com que tropeças todos os dias!

João Silveira disse...

Essa pergunta é dirigida ao Papa Bento? Acho que não é um leitor assíduo deste blog, mas haja esperança!