sábado, 25 de outubro de 2014

Papa Bento escreve para peregrinação Summorum Pontificum

Está neste fim-de-semana a decorrer em Roma a peregrinação internacional Summorum Pontificum. O secretário geral desta peregrinação convidou o Papa Bento a participar na Santa Missa Solene na Forma Extraordinária, celebrada este Sábado pelo Cardeal Burke, na Basílica de S. Pedro. O Papa respondeu com a seguinte carta:


Benedictus XVI 
Papa emeritus 

Città del Vaticano 
10-10-2014 
Excelentíssimo Delegado-Geral, 

Finalmente encontrei tempo para lhe agradecer a sua carta de 21 de Agosto passado. Estou muito contente por o Usus antiquus agora viver em paz total na Igreja, também junto dos jovens, apoiado e celebrado por grandes Cardeais.
 

Estarei espiritualmente unidos a vós. O meu estado de 'monge enclausurado' não me permite uma presença que também seja exterior. Deixo o meu mosteiro só em casos particulares, [quando] convidado pessoalmente pelo Papa.

Em comunhão de oração e amizade.

Vosso no Senhor, 
Bento XVI

               


in wdtprs.com 


blogger

7 comentários:

Anónimo disse...

Política eclesiástica!
Peccato, tornare indietro!

Anónimo disse...

Querem instrumentalizar Bento XVI, fazendo dele uma espécie de cabeça de cartaz dos tradicionalistas e conservadores, mas ele, com delicada firmeza, recorda qual é o seu papel e quem é o Pontífice. Aprendam com este homem santo e sábio!

JG

João Silveira disse...

Mas, JG, foi o proprio Papa Bento que escreveu esse texto. Sera que se esta a instrumentalizar a si proprio?

Anónimo disse...

Dispenso a troça. Talvez devesse considerar encerrar o seu blog a comentários, se não está disponível para acolher opiniões diferentes da sua.

João Silveira disse...

Grato pela sugestão. Blog encerrado a partir de agora: 1, 2 e 3...

Anónimo disse...

Encerrado A COMENTÁRIOS, escrevi eu.

Anónimo disse...

Reconhece as citações?

"Tu... soberba? – De quê?"

"Quando o orgulho se apodera da alma, não é estranho que atrás dele, como pela arreata, venham todos os vícios: a avareza, as intemperanças, a inveja, a injustiça. O soberbo procura inutilmente arrancar Deus – que é misericordioso com todas as criaturas – do seu trono para se colocar lá ele, que actua com entranhas de crueldade."

"Temos de pedir ao Senhor que não nos deixe cair nesta tentação. A soberba é o pior dos pecados e o mais ridículo. Se consegue atormentar alguém com as suas múltiplas alucinações, a pessoa atacada veste-se de aparências, enche-se de vazio, envaidece-se como o sapo da fábula, que inchava o papo, cheio de presunção, até que rebentou. A soberba é desagradável, mesmo humanamente, porque o que se considera superior a todos e a tudo está continuamente a contemplar-se a si mesmo e a desprezar os outros, que lhe pagam na mesma moeda, rindo-se da sua fatuidade."