sábado, 24 de outubro de 2015

Obrigações dos Maridos e das Mulheres - S. António Maria Claret

Obrigações do Marido

1. Amar a sua mulher, como Jesus Cristo a Igreja.

2. Não a desprezar, porque é companheira inseparável.
3. Dirigi-la como inferior. 
4. Ter cuidado dela, como guarda da sua pessoa.
5. Sustentá-la com decência.
6. Sofrê-la com toda paciência.
7. Assisti-la com caridade.
8. Corrigi-la com benevolência.
9. Não a maltratar com palavras nem obras.
10. Não fazer nem dizer coisa alguma diante dos filhos, ainda que pequenos, que possa ser para eles motivo de escândalo.

Obrigações da Mulher

1. Estimar o marido.
2. Respeitá-lo como a sua cabeça.
3. Obedecer-lhe como a seu superior. 
4. Assisti-lo com toda a diligência.
5. Ajudá-lo com reverência.
6. Responder-lhe com mansidão.
7. Calar quando estiver zangado e enquanto durar a zanga.
8. Suportar com paciência os seus defeitos.
9. Repelir toda a familiaridade.
10. Cooperar com o marido na educação dos filhos.
11. Não desperdiçar as coisas e os bens da casa.
12. Respeitar os sogros como pais.
13. Ser humilde com as cunhadas.
14. Conservar boa harmonia com todas as pessoas da casa.

S. António Maria Claret in Caminho Reto e Seguro para chegar ao Céu

Nota Senza Pagare: Algumas pessoas, por mensagem privada, perguntaram o que significava o ponto 3 de ambas as "obrigações", que parece um atentado à igualdade.

Convém percebermos que a noção igualdade que nos é apregoada vem directamente do marxismo, é uma igualdade injusta porque quer tratar, e que todos sejam tratados, da mesma maneira. Isto não é justo, porque a justiça consiste em dar a cada um o que é seu, o que merece/precisa receber.

O homem e a mulher são iguais em dignidade. Um marido não vale mais do que a mulher. Mas enquanto marido e mulher não são iguais, porque o homem e a mulher não são iguais. S. Paulo no capítulo 5 da Carta aos Efésios compara o amor conjugal ao amor que une Cristo e aiGreja para sempre. E explica que o marido é cabeça da mulher como Cristo é cabeça da Igreja. E por isso a mulher deve ser submissa ao marido e este deve amar a mulher como se ama a si próprio. é entre o amor.

Uma senhora casada há muitos anos disse a um sacerdote que conheço: "Em minha casa nunca houve dúvidas quem mandava: Era o meu marido. E por isso eu tive sempre o primeiro lugar."

A mulher que se submete ao marido, dá-lhe a primazia, o comando, a iniciativa. O marido, que ama a sua mulher como a si próprio, usa esse "poder" que lhe é dado, e concedido por ela, para a pôr sempre em primeiro lugar, inclusivamente à sua frente. Até dar a vida por ela! E ao fazendo isto também ele lhe é submisso e também ela o ama como a si mesma.

Quando S. António Maria diz que a mulher deve obedecer ao marido como superior não é porque não tenham os dois a mesma dignidade, mas porque uma casa onde se sabe claramente quem manda, e isso é aceite por todos, funciona melhor. E o homem que manda deve usar esse mandato para tratar a mulher como uma rainha, e não como uma escrava, e sendo assim, naquela casa, a mulher vai ter sempre o primeiro lugar.


blogger

3 comentários:

Passas disse...

Qual é a fabilidade/infabilidade dos santos?

Marta disse...

Não seria melhor colocarem a data em que o texto original foi escrito? Essa data explicava muito melhor as "obrigações" do que a nota acrescentada por Senza Pagare. Não me parece que vos honre muito dizerem que num casal um manda e o outro obedece. E que é sempre o mesmo a mandar e o mesmo a obedecer. E decide-se quem manda apenas pelo sexo.Parece-me tão longe do Evangelho! Mas deve ser por ser mulher, casada e com um casamento muito feliz onde as decisões são tomadas pelos dois, pelo "um" que formamos com a nossa relação conjugal. E os nossos 4 filhos não parecem nada baralhados com isso. É só uma opinião.

Senza Pagare disse...

Cara Marta, muitos parabéns pelo seu feliz casamento e pelos seus 4 filhos. Como explicámos naquela pequena nota, a obediencia no matrimonio de que falam os santos nao tem nada a ver com a obediencia do escravo ao seu senhor.

A carta de S. Paulo aos Efésios é Palavra de Deus, e por tal foi escrita em total sintonia e em concordancia com o Evangelho. Santo Antonio Maria Claret escreve também segundo o que aprendeu do evangelho e com S. Paulo. As suas recomendaçoes foram escritas ha cerca de 150 anos e a carta aos Efésios ha cerca de 1950 anos.

Ambas devem ser lidas com o "pano de fundo" que foi descrito e nao com as categorias com que o mundo de hoje julga a obediencia, e o que é ser homem e mulher. Dificlmente uma sociedade onde a instituiçao casamento anda pelas ruas da amargura será a mais indicada para dar uma liçao a todas as sociedades que a precederam sobre os papeis do homem e da mulher no casamento.

Paz e bem