quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

A melhor arma contra a Igreja: Três filmes no cinema a perder

Nestes tempos o mundo está a viver uma decadência moral como provavelmente nunca viveu. Especialmente no que diz respeito à moralidade sexual. Como é possível que neste momento, na ONU, queiram redefinir o conceito de família para algo "mais amplo"? Ou que o CEO da Mozilla (Firefox) tivesse que se demitir por ser a favor da família? Ou achar que a adopção de crianças por homossexuais é bom, dando-lhe total prioridade, como fez o governo português?

O Evangelho de Segunda-feira contava a história de um "homem possesso de um espírito imundo". Este homem não queria ser preso pelas cadeias e correntes que ia destruindo. É uma imagem das pessoas que também reagem ferozmente ao jugo que a Igreja supostamente impõe sobre a sua vida. Confirmamos isto pensando no nome do demónio que o possuía, Legião. Tal como hoje, é uma legião inteira que está contra a Fé e a Moral da Igreja Católica. E, quando Jesus curou este homem, o Evangelho diz que aqueles que o viram "ficaram cheios de medo" e começaram expulsar Jesus do seu território.

Felizmente, neste nosso mundo, não são poucos os que tentam lutar por uma vida limpa e ser Santos. Por todo o mundo há pessoas, neste momento, a lutar para chegar ao Céu e levar outros consigo. E o mundo sabe isso e tem medo. E quer expulsar os Cristãos e acabar com os limites que supostamente lhe impõe. E para isso usa o melhor que tem. Desde os boards executivos das maiores empresas, a muitos governos do Ocidente e a muitas instituições não governamentais.

Mas estas semanas o que podemos ver é uma das melhores armas que o mundo tem a ser disparada contra a Fé da Igreja: Hollywood. Estão neste momento no cinema três filmes que, infelizmente, irão afastar muitas pessoas da Igreja e de Deus: The Danish Girl, Carol e Spotlight.

Estes filmes, curiosamente estão todos relacionados com a perversão sexual dominante no mundo. O primeiro é sobre a vida de uma transsexual, o segundo sobre duas lésbicas e o terceiro sobre os jornalistas que descobriram os casos de pedofilia por sacerdotes católicos nos Estados Unidos.

Todos estes filmes estão nomeados para os Óscares. Dois deles têm seis nomeações cada um. Só o Spotlight foi nomeado para os óscares de melhor filme, melhor argumento, melhor realizador, melhor actriz secundária, melhor actor secundário e melhor edição. Não há dúvida que deve ser um dos melhores filmes que Hollywood já produziu. Não é por acaso.

Mas isto não nos deve assustar. Há séculos o Império Romano fez o mesmo aos Cristãos e nada conseguiu. E ontem, festa da Apresentação de Jesus no Templo, vemos que tudo estava previsto. Como disse Simeão a Nossa Senhora: "Este Menino foi estabelecido para que muitos caiam ou se levantem em Israel e para ser sinal de contradição".

Nuno CB


blogger

4 comentários:

Ir. Benedita asm disse...

Carta a Diogneto, Capítulo VI - A alma do mundo

"Em poucas palavras, assim como a alma está no corpo, assim estão os cristãos no mundo. A alma está espalhada por todas as partes do corpo, e os cristãos estão em todas as partes do mundo. A alma habita no corpo, mas não procede do corpo; os cristãos habitam no mundo, mas não são do mundo.A alma invisível está contida num corpo visível; os cristãos são vistos no mundo, mas sua religião é invisível. A carne odeia e combate a alma, embora não tenha recebido nenhuma ofensa dela, porque esta a impede de gozar dos prazeres; embora não tenha recebido injustiça dos cristãos, o mundo os odeia, porque estes se opõem aos prazeres. A alma ama a carne e os membros que a odeiam; também os cristãos amam aqueles que os odeiam. A alma está contida no corpo, mas é ela que sustenta o corpo; também os cristãos estão no mundo como numa prisão, mas são eles que sustentam o mundo.A alma imortal habita em uma tenda mortal; também os cristãos habitam como estrangeiros em moradas que se corrompem, esperando a incorruptibilidade nos céus. Maltratada em comidas e bebidas, a alma torna-se melhor; também os cristãos, maltratados, a cada dia mais se multiplicam. Tal é o posto que Deus lhes determinou, e não lhes é lícito dele desertar."

Penso que os escritos da época apostólica continuam actuais para definir a situação daqueles que aceitam a vocação e missão de "ser a alma do mundo"...

Jose gonçalves disse...

o problema e que a maior parte dos catolicos nao conhecem a sua fe nao a praticam e muito pior nao concordam com a doutrina da santa igreja temos de ser mais santo começando por mim que DEUS nos ajude

Márcio Sales disse...

Caro NCB,

Apreciando o tempo e dedicação que tem a escrever estes artigos, tenho de lhe dizer que não concordo consigo e julgo a avaliar pelas pessoas em meu redor que a grande maioria dos cristão também não concorda. Primeiro, estes filmes não são uma "arma contra a Igreja", são transposições para o cinema da vida e de factos reais. Se os temas retratados são ou não polémicos ou contraditórios à doutrina da Igreja, é outro assunto. Mas não deixam de representar factos da sociedade corrente e são tão somente ameaça para aqueles cuja fé assenta nos formalismo e nos ritos que são abalados por estes filmes.

O verdadeiro Cristão que tem a sua fé fundamentada no Amor de Deus e na vida de Jesus não se permite que estes temas sejam ruído. E continuando no caminho desta fé verdadeira, serão exemplo sereno e evangelizador para os mais frágeis que se deixam impressionar pela temática destes filmes.

Dito isto, um comentário apenas sobre o Spotlight: é um filme extraordinário, bem feito e que aborda todo o episódio com tacto e respeito. O trabalho daqueles jornalistas permitiu expôr a prática de abuso sexual de menores e o seu encobrimento por mais de 20 anos, procurando responsabilizar quem tinha de ser responsabilizado. A investigação jornalística do caso foi feita com rigor e muito bem documentada. Atravemo-se a dizer que o NCB aplaudiria este filme se a instituição em causa não fosse a Igreja Católica...

Deixo então a seguinte reflexão: deve o certo e errado ter dois pesos e duas medidas consoante somos nós ou os outros? Jesus olharia para aquela Igreja Católica de desvio sexual e encobrimento e ficaria impávido ou limparia o templo?

Anónimo disse...

Por que motivo não se poderão ver os filmes? "Nada existe fora da pessoa humana que, entrando nela, a possa tornar impura. ... Entretanto, as coisas que saem da boca vêm do coração e são essas...." O bom e o mau faz parte da vida. Se fossemos sempre poupados a ver o mau, nunca nos saberíamos defender dele, e nem mesmo necessitaríamos de fazer escolhas... Por outro lado a imparcialidade entre os membros da igreja (e nas pessoas em geral) deve ser algo que Deus deve apreciar muito, já o contrário não direi.