quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Devo amar ainda mais a Deus do que amo os meus pais?

Se compreendermos que a religião vem em primeiro lugar e a piedade filial em segundo, esta questão fica esclarecida; com efeito, o humano tem de vir depois do divino. Porque, se temos deveres para com os pais, quanto mais para com o Pai dos pais, a quem devemos estar reconhecidos pelos nossos pais! 

Ele não diz, portanto, que é preciso renunciar aos que amamos, mas que há que preferir Deus a todos. Aliás, encontramos noutro livro: «Quem amar pai ou mãe mais do que a Mim não é digno de Mim» (Mt 10,37). Não te é interdito amares os teus pais, mas preferi-los a Deus. Porque as relações naturais são benefícios do Senhor, e ninguém deve amar os benefícios recebidos mais do que a Deus, que preserva os benefícios que dá.

Santo Ambrósio in Comentário ao evangelho de Lucas, 7, 134


blogger

2 comentários:

Anónimo disse...

Ele não diz que é preciso renunciar aos que amamos, mas, quantas vezes para fazermos a vontade de Deus temos de renunciar a eles? “Vou seguir-te, Senhor, mas deixa-me primeiro voltar e despedir-me da minha família”. E Jesus respondeu: “Ninguém que põe a mão no arado e olha para trás é apto para o Reino de Deus”(Lucas 9:61-62) além da radicalidade, até tb está expressa a renúncia, tal como noutras passagens, mas se olharmos para a vida dos Santos, quantas renúncias Deus pediu a cada um claramente? Até em pequenas coisas, “não quero que vás porque não será bom para ti” (a Santa Faustina), os exemplos são infindos, mesmo a nível afectivo e na relação com os que amavam… Somos muitas vezes chamos a renunciar aos que amamos, a estar com eles quando ou tanto quanto desejaríamos, mas aceitamos o que Deus deseja. Podemos renunciar a profissões, a tarefas, a sítios, a opções, a decisões, até a objectos que amamos. Ele não diz que é preciso, Ele vai dizendo A única certeza que tenho é que nunca nos pedirá para renunciarmos ao Amor, que é Ele, porque até ao amor por outros Ele também muitas vezes pede que renunciemos e até a igreja o pede. Não podemos amar quem queremos, mas temos de estar sempre sob o jugo do que está certo e errado, ora não sei se há certo e errado no amor, estou a tentar descobrir ainda...

francisco disse...

O amor a Deus em vez de encher o coração e não deixar espaço para mais nada dilata o coração. Quanto maior é o amor a Deus mais espaço fica para amar o próximo. Por isso também o amor a Deus deve vir primeiro, é fonte de Vida e Amor para tudo o resto.