segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Sem cristianismo os pagãos seriam humanistas?

Claro que houve uma Idade de Trevas que se seguiu ao declínio da velha civilização pagã (a queda do Império Romano do ocidente); mas não foi pela religião que a civilização caiu.

Pelo contrário, foi pela religião que essa idade foi iluminada. Muita gente afirma que sem "superstição" (ou seja, religião) teria havido sempre progresso; pelo contrário, sem "superstição" só haveria selvajaria.

Era como se os Hunos, se tivessem permanecido pagãos, fossem humanistas; pelo contrário, se os Hunos não se tivessem convertido seriam apenas Hunos.

G.K. Chesterton in 'Modern Doubt and Questioning'


blogger

domingo, 30 de dezembro de 2018

O desaparecido seminário de Vicenza

Nesta imagem vemos os seminaristas da diocese de Vicenza (Itália) durante a aula de ginástica, na década de 50. No início dos anos 70 o seminário contava com 130 a 150 seminaristas maiores e cerca de 200 no seminário menor. Eram ordenados entre 20 a 25 sacerdotes por ano. Hoje em dia a diocese de Vicenza conta com 9 seminaristas.


blogger

sábado, 29 de dezembro de 2018

Natal passa a ser feriado nacional no Iraque

O Governo iraquiano decidiu que o dia de Natal passará a ser um feriado nacional no Iraque, e não apenas um feriado para os cristãos: 

"O Governo iraquiano anuncia que o Dia de Natal passará a ser um feriado no Iraque. Feliz Natal para os nossos cidadãos cristãos, todos os iraquianos e todos os que o estão a celebrar em todo o Mundo."

Cerca de 95% dos iraquianos são muçulmanos, na sua maioria Xiitas. Apesar do êxodo dos cristãos do Iraque nos últimos anos ainda lá existem mais de 300 mil. Em 2003, antes das perseguições, o número de cristãos naquele país era 1,4 milhões.


blogger

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

Carta do Papa Bento XVI ao Menino Jesus quando tinha 7 anos de idade




blogger

Por que razão o Natal é no dia 25 de Dezembro?

Já no século I a Igreja celebrava a Anunciação do Anjo a Zacarias, pai de S. João Baptista, a 23 de Setembro, e o nascimento deste a 24 de Junho. A descoberta dos manuscritos do Mar Morto e as investigações subsequentes nas grutas circundantes que levaram ao achamento de rolos manuscritos em muito bom estado veio confirmar, com o livro dos jubileus, esta antiga tradição da Igreja. 

De facto, por este manuscrito ficamos a saber que a semana em que entravam de serviço, no Templo, os Sacerdotes da classe de Abias, à qual pertencia Zacarias, tinha o seu início a 23 de Setembro e terminava a 30 do mesmo mês. Acrescentando 9 meses temos o 24 de Junho. Ora, pelos Evangelhos, nós sabemos, que logo após a Anunciação do Anjo à sempre Virgem Maria, portanto da Encarnação do Verbo no seu seio, ela se dirigiu “à pressa” para auxiliar sua prima Santa Isabel, grávida de seis meses (“ … já está no sexto mês aquela que é tida por estéril” – Lc 1, 37), que vivia a três dias de jornada. 

Seis meses depois da última semana de Setembro é a última semana de Março. A Igreja celebra a Encarnação de Jesus, Deus filho, acontecida aquando da Anunciação do Anjo, por virtude do Espírito Santo, a 25 de Março. Ora 25 de Dezembro é 9 meses depois de 25 de Março. 

Pe. Nuno Serras Pereira


blogger

terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Paz na noite de Natal durante a Primeira Guerra Mundial

Na noite de Natal de 1914, nas trincheiras da I Guerra Mundial, aconteceu o impensável. Os soldados alemães entoaram o cântico natalíco: 'Stille Nacht, Heilige Nacht' ('Noite Feliz', em português). Os ingleses, reconhecendo a melodia, responderam com a versão na sua língua: 'Silent Night'.

Depois da cantoria, um soldado alemão arriscou sair da trincheira para cumprimentar o inimigo. Um inglês fez a mesma coisa. Estabelecidas as tréguas, deu-se um convívio natalício entre os homens que poucas horas antes se tentavam matar uns aos outros.

Conversaram, ultrapassando as barreiras linguísticas. Prepararam um autêntico banquete, comeram e beberam juntos. Trocaram lembranças. Um sacerdote inglês celebrou a Missa de Natal. Fizeram um jogo de futebol que os alemães venceram por 3 a 2.

Aqueles soldados perceberam que do outro lado estavam homens iguais a eles, criados por Deus, com família e mais vontade de amar do que matar.

Infelizmente a Guerra não acabou ali. Mas, de algum modo, aquelas tréguas no dia de Natal mostraram que o nascimento do Menino Jesus continua a conseguir trazer ao de cima o melhor de nós.

João Silveira


blogger

segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

O Papa Bento XVI relembra que o centro do Natal é o Menino Jesus

"Que o Seu nascimento não nos encontre impreparados para festejar o Natal, esquecendo que o protagonista da Fé é precisamente Ele! Ajude-nos Maria a manter o recolhimento interior indispensável para viver a profunda alegria que o nascimento do Redentor traz. 

Dirijamo-nos agora a ela com a nossa oração, pensado sobretudo em quantos se preparam para transcorrer o Natal na tristeza e na solidão, na doença e no sofrimento: a todos a Virgem dê conforto e consolo."


blogger

domingo, 23 de dezembro de 2018

Missa do Galo



blogger

O que comiam os portugueses no Natal há 100 anos

Está a ver aquela posta alta e deliciosa de bacalhau cozido com couves, cenouras, batatas e muito azeite por cima? No início do século XX, isso era coisa que só existia no Norte do País. Do Porto para baixo, a véspera de Natal era passada no mais rígido e rigoroso jejum. A partir do início do Advento, as famílias faziam jejum de carne e, na véspera de Natal, no Sul do país, era jejum total até à Missa do Galo.

A tradição é recordada por Maria de Lourdes Modesto num artigo publicado no jornal Público. A maior especialista em comida portuguesa lembra-se que, na década de 30, depois da Missa tinha finalmente direito a comer qualquer coisa – e normalmente os pais serviam um doce para quebrar o jejum. No dia 25, então, era servido um almoço completo e, no Alentejo, onde vivia com a família, era sempre porco – peru nem vê-lo. 

No Funchal, a tradição também era a do jejum na véspera e a do porco no Dia de Natal. De madrugada, depois da Missa do Galo, era servida uma canja e um cálice de vinho. Na verdade, a festa só começava depois da Missa.

Hoje em dia, a ceia da véspera de Natal tem tanta importância como o almoço de dia 25. Mas, há 100 anos, era coisa que existia essencialmente no Norte do País, acima do Porto. Aí, sim, havia uma tradição de jantar em família, com bacalhau – cozido ou em pastéis –, polvo guisado, arroz de polvo ou outros pratos sem carne. Na véspera de Natal, a família reunia-se à mesa para celebrar a festa em conjunto. E a Missa do Galo não existia na região.

in casalmisterio.com


blogger

sábado, 22 de dezembro de 2018

Um Conto de Natal numa empresa em crise

"Não percebo como é que consegues ser assim!" "Assim como?", respondeu André enquanto pousava o tabuleiro do almoço diante do Pedro, na mesa da cantina da empresa.

"És incrível! Tivestes uns bons cinco minutos a conversar com a velha da caixa como se nada estivesse a acontecer."

"Que mal tem conversar com a dona Adélia? O neto tem estado doente e ela fica contente por falar dele. Felizmente já está melhor. De que é que te queixas?"

"Esta empresa está a ir por água abaixo e tu tens cabeça para o neto da velha! Estamos a ser chamados, um a um, à administração para saber o que nos espera. Se nos reduzem o ordenado ficamos felizes, porque ainda o temos. Isto deixa-me maluco. E fico mais furioso ao ver que põem ali o Presépio, como se tudo estivesse bem. Bandidos!"

Os dois amigos comeram a sopa em silêncio alguns minutos, até que André disse: "Queres saber o segredo da minha calma? Queres saber como consigo não ficar desesperado? É que o meu Pai é dono disto!"

"O teu pai? Tás maluco. A empresa foi comprada por um fundo alemão que não tem nada a ver com a tua família. Não gozes!"

"Não estás a perceber. Não me estou a referir à empresa, nem falo do meu falecido pai. Estou a referir-me Àquele a quem digo todos os dias 'Paí Nosso', que é dono de tudo o que tenho e sou, de tudo o que vejo e existe no universo. Nada me preocupa porque Deus é dono da minha vida. A confiança em Deus é a melhor coisa da existência."

"Pode ser, mas isso não te livra de ires para a rua, porque a administração não deve rezar o Pai Nosso."

"Provavelmente, mas se isso acontecer, a vontade de Deus permanece e a minha confiança n'Ele não me deixará ter um segundo de medo ou zanga. Confesso que nem sempre tenho esta atitude e frequentemente me irrito e apavoro. Mas isso deve magoar muito a Nosso Senhor, porque é duvidar da Sua Providência e do carinho com que nos acompanha a cada momento."

Depois de um silêncio, continuou: "Sabes, esta crise tem me feito muito bem. Ao princípio assustou-me, mas um dia percebi que acima dela está Deus, que quer dar-nos o melhor mesmo assim. E desde que Lhe entreguei, mais uma vez, a minha vida senti uma liberdade e alegria profundas, que não dependem do que me acontecer. 'Tudo concorre para o bem dos que amam a Deus' (Rm 8, 28)."

"Quer dizer que se fores para a rua, e os teus filhos tiverem fome, ficas contente?"

"Se for para a rua perguntarei que aventura maravilhosa o Senhor prepara para mim. Se perder o que tenho direi 'Saí nu do ventre da minha mãe e nu a ele voltarei. O Senhor mo deu, o Senhor mo tirou; bendito seja o nome do Senhor! (...) Se recebemos os bens da mão de Deus, não aceitaremos também os males?' (Job 1, 21; 2, 10). Aliás é bastante provável que venham aí tempos bem difíceis. Mas se ao Seu Filho Deus deixou que nós O crucificássemos, tudo o que eu sofrer é pouco. 'Estou convencido de que nem a morte nem a vida,nem os anjos nem os principados, nem o presente nem o futuro, nem as potestades, nem a altura, nem o abismo, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus que está em Cristo Jesus, Senhor nosso' (Rm 8, 38-39). No fim ressuscitarei!"

"Devias dizer isso ao Matias. Ele, que se diz cristão, é o mais assustado e furioso de todos nós."

"Já falei muito com o Matias. Mas nunca lhe disse isto assim. Vou tentar. Mas quem me preocupa é o Ernesto."

"O Ernesto? Esse está óptimo. Vai ser promovido e anda na maior."

"Por isso mesmo. O pobre Ernesto só tem a carreira. Vive para o emprego e só depende disso. Já destruiu dois casamentos e está cada vez mais só. É o mais miserável de todos nós. Mas não sei como abordá-lo."

"O tipo é espantoso", riu Pedro. "Imagina que ontem, quando eu protestava por terem posto aquele Presépio hipócrita, respondeu que se deveria ter aproveitado para colocar lá publicidade. Imagina! Publicidade no Presépio! O tipo é incrível!"

"A sério? Ele disse isso? Ora aí está uma oportunidade para eu lhe falar."

"O quê! Vais falar-lhe da publicidade no Presépio?"

"Não, vou falar-lhe do burro do Presépio."

João César das Neves in DN


blogger

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Quem salvará a Igreja?

Quem salvará a Igreja? Não serão os bispos nem os padres nem os consagrados. Cabe-vos a vós, o povo. Vós tendes as mentes, os olhos, os ouvidos para salvar a Igreja. A vossa missão é zelar para que os padres vivam como padres, os bispos como bispos e os consagrados como consagrados.

Arcebispo Fulton Sheen (1972)


blogger

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Dom Gregory surpreendido pela igreja com melhor acústica de França



blogger

Bispo americano: A nossa missão é salvar almas não as alterações climáticas

Mons. Joseph Strickland, Bispo da Diocese de Tyler (Texas, EUA), volta a representar a ala "rebelde" do episcopado americano ao recordar que a razão de ser da hierarquia eclesiástica é a salvação das almas.

"Tudo o que se falou neste Verão foi: 'Temos de nos preocupar com o aquecimento global'. Mas esse não é o nosso trabalho", afirma o Bispo de Tyler numa entrevista concedida à Catholic News Agency. "Creio que percebemos tudo mal. Como Bispos a nossa prioridade é a santidade  do povo de Deus, a salvação das almas."

É como se a ordem do Vaticano de proibir que os Bispos Norte-Americanos, reunidos em Baltimore, votassem medidas para combater a crise dos abusos sexuais tivesse sido a gota de água que fez transbordar o copo, e entre os bispos mais determinados a travar o processo de transformação da Igreja americana em mais uma ONG está o Bispo Strickland.

Strickland que, após a divulgação do testemunho de Viganò no passado Verão, foi o primeiro a pedir que se investigassem as acusações feitas pelo ex-núncio, cuja integridade fez questão de enfatizar, referiu-se de forma indirecta, com este primeiro comentário, aos comentários do Cardeal Blaze Cupich, Arcebispo de Chicago, quando referiu publicamente que o Papa não podia perder tempo respondendo a Viganò porque tinha "outros assuntos na agenda".

Não foi a única referência indirecta a clérigos famosos. Na sua intervenção diante dos seus pares, referiu: "Há um sacerdote que agora anda por aí a dizer basicamente que não crê nos ensinamentos da Igreja", numa clara alusão ao mediático Padre Jesuíta James Martin, assessor do Vaticano para a Comunicação, autor e autodenominado "Apóstolo dos LGBT". "Temos de nos questionar e perguntar se deve ter presença nas nossas dioceses". Um grupo de Bispos aplaudiu a declaração.

Strickland pronunciou inclusivamente a palavra proibida, aquela da qual Roma e os Bispos tão habilmente fugiram desde o início da crise ao dizer: "Temos que nos perguntar como pôde acontecer o escândalo McCarrick. Temos que nos confrontar seriamente com a questão da homossexualidade no Clero. É parte do depósito da nossa fé crer que a actividade homossexual é imoral. Cremos ou não na doutrina da Igreja?"

Na entrevista à CNA, Strickland mostrou-se impaciente face à lentidão da investigação ao caso McCarrick que "está a levar demasiado tempo" e defende que a Igreja americana leve a cabo a sua própria investigação em simultâneo com a que supostamente está a ser conduzida por Roma: "Tem de existir arquivos", insiste Strickland. "Ele é americano, todo o seu sacerdócio foi exercido nos Estados Unidos. Certamente que o podemos fazer."

Voltou a referir-se ao testemunho de Viganò que, disse, "veio trazer à luz, de certa forma, questões de fundo dentro da Igreja, questões relativas à decadência moral no conjunto do Clero."

O Bispo de Tyler insistiu em que "a questão  central" está em procurar a salvação das almas "das vítimas dos perpetradores. Como Bispos temos de nos preocupar com a salvação da alma de Theodote McCarrick."

"Sou um pastor, tenho o meu rebanho", concluiu Strickland. "E as ovelhas estão a sangrar, estão a ser massacradas, estão a ser atacadas pelos lobos. Não podemos estar preocupados com a cor com que vamos pintar o redil."

Tradução: Senza Pagare


blogger

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Parabéns Papa Francisco: 82 anos!

V. Orémus pro beatíssimo Papa nostro Francisco.
R. Dóminus consérvet eum, et vivíficet eum,
et beátum fáciat eum in terra,
et non tradat eum in ánimam inimicórum eius.

V. Oremos pelo nosso beatíssimo Papa Francisco.
R. Que o Senhor o conserve e vivifique, 
que o faça feliz na Terra, 
e não o entregue nas mãos dos seus inimigos.


blogger

Cardeal Cerejeira celebra Missa na Sé de Lisboa (1968)

D. Manuel Gonçalves Cerejeira percorre a nave central; fiéis assistem à cerimónia; incensação; actuação de coro; durante a homilia Cardeal Patriarca profere algumas palavras sobre o culto da Imaculada Conceição de Maria, a crise na Igreja Católica, o afastamento do Concílio Vaticano II, a autodestruição da Igreja e o serviço controverso do Papa.


in RTP Arquivo


blogger

sábado, 15 de dezembro de 2018

Fotografias da 'Missa Rorate' em Lisboa

A igreja de São Nicolau, na baixa de Lisboa, encheu-se na madrugada deste Sábado, dia 15 de Dezembro, para a Missa Rorate.














blogger

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Pedófilos, suicidas e viciados em drogas: estes são os pais da Ideologia de Género

É como se alguém tivesse aberto as portas de um hospício e as teorias dos loucos mais famosos se tornassem a matéria principal das melhores escolas e universidades do mundo. Não há nada de objectivo nas suas ideias, nem mesmo a diferença biológica entre os cromossomas XX e XY que determina os sexos masculino e feminino. Cada um é o que imagina ser!

Este é o argumento dos ideólogos de género e profetas do "pansexualismo", alguns deles divulgaram as suas teorias mesmo antes de terem sido postos em camisas de força. Muitos deles experimentaram a pedofilia, bestialidade, a toxicodependência de forma grave e, em alguns casos, o suicídio. Quem conseguiu ter uma vida tranquila entre eles foi uma excepção. 

Entre eles não esteve apenas uma revolta contra a família dita "tradicional", em especial contra os pais (figura paterna), a imposição do relativismo e do politicamente correcto, mas principalmente uma guerra contra a natureza, ou seja: a realidade mais óbvia. Entre eles imperou o absolutismo do desejo, da vontade, das ideologias. 

Não há nada fora de nós [de nossas mentes] que seja objectivo, disse Fiedrich Nietzsche, o filósofo a partir do qual todos os ideólogos de género [do sec. XX] deram início às suas teorias.

Terapia sexual 

Deus está morto, disse o pensador alemão, e se Deus morreu, também morreu a natureza criada por Ele. Portanto, nada define o que sou, só eu posso definir isso. Nietzsche, aliás, acabou num hospital psiquiátrico durante os últimos anos da sua vida. 

Ideólogos da sexualidade, alguns adeptos da filosofia nietzschiana, desenvolveram verdadeiras psicopatologias, terminando os seus dias como internos psiquiátricos da mesma forma que o "grande mestre". Este foi o caso do médico alemão Wilhelm Reich, ícone da Psicologia moderna por ter sido o idealizador da abordagem teórica conhecida como "Bioenergética", uma versão "científica" de concepções místicas milenares importadas do Oriente.

O médico Wilhelm Reich, após vários conflitos com a justiça, com a comunidade científica e de relatar ter travado uma "batalha interplanetária em larga escala" para defender a terra de alienígenas interessados numa máquina que criou, chamada 'cloudbuster', abusou de mulheres que participaram na sua 'terapia sexual'. Reich morreu de ataque cardíaco na penitenciária de Lewisburg, na Pensilvânia, EUA, em 1957, após ser diagnosticado com esquizofrenia paranóide e progressiva. 

Ortodoxia comunista

Uma vida semelhante levou o filósofo francês Michel Foucault, considerado uma das maiores referências da ideologia de género. Homossexual, membro do Partido Comunista, teve uma juventude um pouco conturbada, durante a qual foi iniciado no sadomasoquismo e uso de drogas de todos os tipos durante seu tempo na União Soviética. Ele tentou o suicídio várias vezes e morreu de SIDA em 1984, aos 57 anos.

Outro filósofo comunista francês, Louis Althusser, não terminou muito bem. Em 1980 estrangulou a sua esposa Hélène, o que levou ao seu internamento num hospital psiquiátrico. Althusser escreveu a obra "Aparelhos Ideológicos do Estado", onde demonstra como uma ideologia é utilizada para subverter e controlar culturalmente uma nação, através de recursos (aparelhos) como as escolas, universidades, força policial, sindicatos, etc.

Planned Parenthood

A grande multinacional americana Planned Parenthood promove o aborto em vários países. Apenas nos Estados Unidos, 530 milhões de dólares eram usados para financiar cerca de 324 mil abortos - por ano - no país, dinheiro esse que foi cortado depois da tomada de posse do Presidente Donald Trump.

A fundadora da Parenthood, Margaret Sanger, abandonou os seus filhos por causa da sua ninfomania. Grande fã de eugenia e controle populacional, especialmente entre a população imigrante e as classes sociais mais pobres, chegou a ser próxima do Ku Klux Klan. Ela morreu em 1966, quando era uma alcoólatra incontrolável.

Para Shulamith Firestone, outra grande referência do feminismo radical e da ideologia de género, a maternidade foi "a opressão radical das mulheres." Ela passou vários anos numa clínica psiquiátrica devido ao tratamento da sua esquizofrenia, quando em 2012 foi encontrada morta em casa.

Além da iniciação sexual infantil, Firestone defende no livro "A Dialética do Sexo" a extinção total das diferenças sexuais, negando que a maternidade, por exemplo, seja exclusividade das mulheres e algo natural. Para isso ela propõe que novos métodos de reprodução sejam explorados, para que a mulher não precise mais de dar a luz.

"Assim também a meta final da revolução feminista deve ser, ao contrário da meta do primeiro movimento feminista, não apenas a eliminação do privilégio do homem, mas também da própria distinção sexual: as diferenças genitais já não significariam nada culturalmente", escreveu ela.

De resto, a contribuição da ideologia de género feminista tem sido muito activa. Outra conhecida pelo seu radicalismo era Kate Millet, de ideias maoístas, que "se converteu" ao lesbianismo não meramente por uma questão sexual, mas pelo ódio aos homens.

Grande defensora do totalitarismo, ainda disse que "o privado também é político". No final da sua vida foi internada num hospital psiquiátrico e pediu vigilância 24 horas, porque ela mesma estava ciente do seu desejo incontrolável pelo suicídio.

Margaret Mead disse que os papéis sexuais eram construídos culturalmente a partir da sua experiência na região de Samoa, na Polinésia Oceania. Mas em seguida mostrou que a ilha não era representativa em relação ao conjunto da Humanidade

Outra mulher e não menos importante do que Mead foi a filósofa feminista Simone de Beauvoir. A namorada do filósofo existencialista Jean Paul Sartre argumentou que ninguém nasce mulher, mas torna-se numa. Segundo ela, isso é uma "construção social".

A morte dela por causas naturais foi uma excepção entre a multidão de suicídios cometidos por outros autores. A sua grande contribuição para o progressismo e o marxismo cultural foi o conceito de género como uma construção social que seria introduzida na psicologia e sexologia dos anos 50.

Um refúgio do progressismo repressivo

Kinsey, um pedófilo e promotor do sadomasoquismo, havia reivindicado que 37% dos homens tinham experimentado prazer em experiências homossexuais; mas depois a fraude foi descoberta: fez a pesquisa apenas entre a população prisional.

O rigor científico não era a preocupação do sexólogo mais influente da Universidade de Indiana. As conclusões de Kinsey, alcançadas após a realização de 5300 entrevistas pessoais, foram na verdade manipuladas pelos seus métodos e intenções. Além de fazer as entrevistas em contextos discrepantes da realidade social comum, como entre a população prisional, mais tarde soube-se também que Kinsey e a sua equipa praticavam a pedofilia e promoviam o sadomasoquismo na Universidade de Indiana.

A autora responsável por grande parte dessas denúncias foi Judith Reisman. Para os interessados vale a pena procurar: "Kinsey: crimes e consequências".

Igualmente perturbado foi o antropólogo francês Georges Bataille. Embora inicialmente tenha estudado para o sacerdócio, muito cedo abandonou esse caminho afirmando que as suas verdadeiras igrejas eram os bordéis de Paris.

Ele foi um defensor do satanismo orgiástico e fundou uma sociedade secreta para a prática de sacrifícios - não foram realizados, embora tivessem surgido voluntários - e sexo ritual.

Comentário:

A ideologia de género possui raízes e autores mais antigas que os que foramcitados neste texto. A diferença está no delineamento e consolidação da concepção de "género" como uma ideologia. 

O francês Abel Jenniere, por exemplo, autor de "Antropologia Sexual", foi um dos primeiros a dar os contornos dessa ideologia, ao tentar explicar por meio do pensamento antropológico o comportamento sexual humano. Os argumentos desse autor são rasos, mas ilustra com precisão o que seria dito décadas depois da sua obra por alguns dos autores citados acima, como Shulamith Firestone.

O arqueologista Timothy Taylor, professor da Universidade de Viena, defende que já na era glacial havia a concepção de "signos sexuais", o que podemos entender como equivalente à ideia de "género". Todavia, ao contrário de hoje em dia, a noção de género no passado servia para reforçar as diferenças entre os sexos e não para as ignorar. 

Os autores referidos neste texto desenvolveram a questão de "género" apenas como uma ideologia e puseram-lhe uma maquilhagem "científica", motivo pelo qual se tornaram mais conhecidos, bem como pelo avanço globalizado dos meios de comunicação.

in opiniaocritica.com.br (com informações Actuall)


blogger

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Quais são os meios de guardar castidade?

Quais são os meios de guardar castidade?

Como meios internos, é preciso ter horror à torpeza desse pecado, em particular da prostituição e do adultério; é preciso também considerar amiúde os castigos e os efeitos da impureza. 

Como meios externos, é preciso fugir a ociosidade, a intemperança, os olhares indiscretos, os requintes da moda, as conversas torpes, as cantigas e bailes licenciosos, os livros e imagens obscenos. 

Como meios positivos, é preciso frequentar os Sacramentos da Confissão e da Eucaristia, e praticar obras de mortificação, como sejam jejuns, vigílias e romarias.


in Catecismo Romano, ponto 318


blogger

Romaria a Fátima nos primeiros tempos



blogger

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

As 13 enigmáticas personagens nos olhos da Virgem de Guadalupe

Desde o início do século XX, vários pesquisadores, fotógrafos e oftalmologistas afirmaram ter descoberto nos olhos da Virgem de Guadalupe o reflexo de figuras que parecem corresponder a silhuetas humanas.

Alfonso Marcue, fotógrafo oficial da antiga Basílica de Guadalupe, na Cidade do México, descobriu, em 1929, o que parecia uma imagem de um homem de barba reflectido no olho direito da Virgem.

Em 1951, José Carlos Salinas Chavez descobriu na mesma imagem com uma lupa observando os olhos da Virgem de Guadalupe, o que também se reflectiu no olho esquerdo, o mesmo local como seria projectada num olho vivo.

Parecer médico e o segredo dos seus olhos

Em 1956, o mexicano Dr. Javier Torroella Bueno publicou o primeiro relatório médico dos olhos da Virgem Negra. O resultado provava que os olhos estão, como qualquer olho humano vivo, conforme a lei Purkinje-Samson, ou seja, há uma tripla reflexão de objectos localizados na frente dos olhos da Virgem e as imagens ficam distorcidas pela forma curva das suas córneas.

No mesmo ano, Rafael Torija oftalmologista de Lavoignet, examinou os olhos da imagem Santa e confirmou a existência da silhueta em ambos os olhos da Virgem, tal como tinha descrito o desenhista Salinas Chávez.

Córneas

Desde 1979, o especialista em computação gráfica e pós-graduado em engenharia civil José Aste Tonsmann foi descobrindo o mistério que estava escondido nos olhos da Virgem de Guadalupe. Através do processo de ampliação da imagem por computador encontrou 13 pessoas nos olhos da Virgem Negra de acordo com as leis de Purkinje-Samson.

O diâmetro pequeno das córneas (7 e 8 mm) descarta a possibilidade de que as figuras tenham sido pintadas por mãos humanas ou mecanicamente nos seus olhos, especialmente quando se toma em consideração o material de forma bruta no qual a imagem é impressa, mesmo com os avanços tecnológicos actuais isso torna-se impossível, ainda mais por qualquer artista ou pintor no ano de 1531!

Personagens

O resultado de 20 anos de estudo cuidadoso dos olhos da Virgem de Guadalupe foi a descoberta de 13 pequenas figuras, diz o Dr. José Aste Tonsmann.
1. Um indígena observa com atenção

Aparece de corpo inteiro, sentado no chão. A cabeça do indígena está ligeiramente levantada parecendo dirigir o seu olhar para cima, em sinal de reverencia e atenção. Nota-se uma espécie de brinco e sandálias nos pés.
2. Idoso

A continuação do indígena aprecia um rosto de um homem idoso, careca, nariz proeminente, em linha retca, olhos fundos e barba branca.

As características coincidem com os de um homem branco. A sua semelhança com o rosto do bispo Zumárraga, como nas pinturas de Miguel Cabrera do século XVIII, sugere que esta será a mesma pessoa.
3. Homem jovem

Ao lado do velho homem há um homem jovem, com a face denotando surpresa. A posição dos lábios do jovem parece dirigir a palavra ao suposto bispo. A sua proximidade levou-o a pensar que é um tradutor, pois o bispo falava nahuatl. Acredita-se que este é Juan Gonzalez, um espanhol nascido entre 1500 e 1510.
4. Juan Diego

O rosto é evidência de um homem maduro olhar indígena, com uma barba fina, nariz fino e os lábios entreabertos. Ele usa um chapéu em forma de cone, como era costume entre os índios naquela época.

A coisa interessante sobre esta figura é que ele está vestido com um manto ao redor do seu pescoço, braço direito estendido e levantado na direcção onde está homem idoso. A hipótese do pesquisador é que este corresponde ao vidente Juan Diego.
5. Uma mulher negra, uma descoberta surpreendente

Atrás de Juan Diego, há uma mulher com olhos penetrantes e olhar de espanto. Pode-se ver o busto e rosto. É de pele escura, nariz achatado e lábios grossos, traços que correspondem aos de uma mulher negra.

Padre Mariano Cuevas no seu livro: “História da Igreja no México” comenta que o bispo Zumárraga no seu testamento havia concedido liberdade a escrava negra que tinha servido no México.
6. O homem de barba

Na extrema direita de ambas as córneas exibido um homem barbudo com traços europeus, que não foi identificado. Exibe uma atitude contemplativa, com o rosto expressando interesse e perplexidade; mantém o seu olhar para o local onde o nativo exibe o seu manto.
Dentro do Mistério (compreender as Figuras 7, 8, 9, 10, 11, 12 e 13)

No centro de ambos os olhos aparece o que tem sido chamado de “grupo familiar indigena”. As imagens são de tamanhos diferentes, no entanto estas pessoas possuem o mesmo tamanho, mas compõem cenas diferentes.
(7) Uma jovem de características muito finas que parecem olhar para baixo. Tem o cabelo com uma espécie de cocar com tranças no cabelo ornadas com flores. Dá para perceber por trás da sua cabeça um bebé envolto numa bolsa, um objecto bastante comum naquela época para carregar crianças. (8)

Um pouco mais abaixo e para a direita da jovem mãe, um homem com um chapéu (9), e entre estes, há um par de crianças (do sexo masculino e do sexo feminino, 10 e 11). Outro par, desta vez para homens e mulheres maduros (12 e 13) está atrás da jovem.


Este homem maduro (13) é a única figura que o pesquisador não encontrou em ambos os olhos da Virgem, está presente apenas na direita.

Significado das imagens

A 9 de Dezembro de 1531, a Virgem Maria pediu a Juan Diego para lhe construir um templo em Tepeyac para que todos pudessem conhecer a Deus, e para realizar o que pretendia o Seu compassivo e misericordioso olhar.

De acordo com a hipótese do autor, estas 13 figuras juntas revelam uma mensagem da Virgem Maria dirigida a toda a Humanidade: Diante de Deus todos os homens e mulheres de todas as raças, são iguais.


A presença da família (nas Figuras 7 a 13), em ambos os olhos da Virgem de Guadalupe, na opinião do Dr. Aste são as figuras mais importantes das que se reflectem nas suas córneas e como estão localizadas nas suas pupilas, significa que Maria de Guadalupe tem a família no centro do seu olhar compassivo.

Poderia ser um convite para procurar a unidade familiar, para se aproximar a familia de Deus, especialmente agora que a sociedade moderna tem desvalorizado tanto a família.

Estampagem

Dr. Aste Tonsmann afirma que no momento em que Juan Diego foi recebido pelo bispo Zumárraga, Maria estava presente, invisível para aqueles que estavam lá, mas vendo toda a cena, e portanto reflecte nos seus olhos as imagens de todos os presentes, incluindo o mesmo Juan Diego.

Quando o vidente desdobrou o manto e as rosas cairam, a estátua de Nossa Senhora foi impressa na capa, como estava naquele momento, isto é tendo nos seus olhos o reflexo de todo o grupo de pessoas que assistiram ao evento milagroso.

Assim, a Virgem de Guadalupe quis deixar-nos um “retrato da realidade” da sua milagrosa estampa. É legítimo pensar que se Juan Diego tinha carregado a imagem e estampada no manto, Zumárraga não teria acreditado.

Teste

Dr. Aste Tonsmann argumenta que uma das evidências mais fortes da existência das figuras nos olhos da imagem da Virgem de Guadalupe, é precisamente a sua presença em ambos os olhos e ao facto de que eles ocupam as mesmas posições relativas, isto é, aparecer no lugar correspondente aos reflexos nas córneas de uma pessoa viva. O resultado surpreendente por si mesmo, elimina a possibilidade de fraude.

Os processos utilizados para a verificação das imagens encontradas no quadro da Virgem de Guadalupe e da verificação da sua existência em outras fotos de si mesma são consistentes com o método científico. Os processos mais importantes são os seguintes:

1) O “mapping”, que consiste em tomar as coordenadas de pares de pontos equivalentes à superfície de ambos os olhos, e, por regressão linear, encontrar duas funções matemáticas para calcular as coordenadas “x” e “y” de cada ponto equivalente, num olho e no outro. A coincidência das imagens encontradas por este método é impressionante.

2) A série “transição”. Através do processo de metamorfose (morphing) Dr. Aste encontrou uma série de imagens que mostram uma sequência de transição entre a face descoberta em uma das córneas e o seu equivalente na outra.

in espacojames.com.br


blogger

Missa Rorate em Lisboa

A Missa Rorate é uma Missa em honra de Nossa Senhora, exclusiva do Advento. É celebrada durante a noite e à luz das velas. Vale a pena aproveitar esta oportunidade porque é uma experiência única.


blogger

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

O processo judicial e o corajoso martírio de Santa Luzia

Santa Luzia foi uma mártir dos primeiros séculos do Cristianismo (304 d.C.). Dotada de grande beleza física foi cobiçada por um jovem que também vivia em Siracusa (Sicília). Como não correspondesse aos intentos desse jovem, este denunciou Luzia ao Tribunal de Pascácio por ser cristã.

Pascásio citou a donzela perante o tribunal e intimou-a a sacrificar aos deuses e a cumprir a palavra dada ao cidadão. 

“Nem uma, nem outra coisa farei”, respondeu Luzia. “Adoro a um só Deus verdadeiro, a Ele prometi fidelidade e a mais ninguém”.

Pascásio, então, disse: “Devo exigir que respeites a ordem imperial: de prestar homenagem aos deuses e cumprir o que prometeste”.

Luzia: “Fazes bem em cumprir as ordens do Imperador[2]; eu cumpro as que Deus me deu. Se tens medo dos poderes de um homem mortal, eu temo os juízos de Deus; a Ele devo sujeitar-me”.

Pascásio: “Deixa de falar fanfarronices, se não queres que a tortura te ensine usar de outra linguagem.”

E ela: “Aos servos de Deus não faltará a palavra, porque Cristo disse: ‘Se estiverdes diante de reis e governadores, não cuideis como haveis de falar; porque não sereis vós quem fala, mas por vós falará o espírito de Deus’.”

Pascásio: “Está em ti o espírito de Deus?”

Luzia: “Quem vive casta e santamente, é templo do Espírito divino”.

Pascásio: “Se assim é, farei com que deixes de ser templo de Deus, e verás como te haverás com a castidade”.

Luzia: “Sem a minha vontade a virtude nada sofrerá: Podes à força pôr incenso em minhas mãos, para que o ofereça aos deuses; de nada vale, porque Deus, que conhece o coração, não me julgará pelo que fiz sob coação. Não poderei resistir à força, mas a minha virtude receberá dupla coroa”.

A ordem do governador foi posta logo em execução.

Luzia saiu do tribunal, entregue à vontade e brutalidade dos homens, mas cheia de confiança em Deus e invocando-Lhe o auxílio.

E eis como Deus lhe recompensou a Fé: Quando os verdugos puseram mãos à obra, para levar a donzela ao lugar determinado, força nenhuma foi capaz de fazê-la mover-se de onde estava. O facto causou grande estupefação. 

Mas em vez de reconhecer nisto o poder de Deus, que defende os seus, os pagãos viram uma obra de feitiçaria. Foram chamados os sacerdotes e magos, para desencantar o feitiço, mas nada conseguiram. Luzia resistiu heroica e superiormente a todas as tentativas dos inimigos. 

Pascásio idealizou outro plano. Ordenou que despejassem sobre a virgem: azeite, piche e resina, e ateassem uma grande fogueira ao redor. Outra maravilha! Subiram as labaredas, e a densa fumaça encobriu a figura da donzela, a qual, porém, ficou ilesa.

Lúcia foi então vítima de várias torturas, sendo que uma delas foi de arrancar os seus olhos, que foram colocados numa bandeja e entregues ao seu ex-pretendente. Mesmo assim, no dia seguinte os olhos de Luzia apareceram no seu rosto, intactos.

Ao ver isto, Pascásio, encolerizado e confuso, deu ordem a um soldado para que, com a espada, lhe cortasse a cabeça, atravessando a garganta daquela que, jubilosa e triunfante, exortava aos assistentes do espectáculo que abandonassem os falsos ídolos.

A ferida foi mortal. Luzia entregou o espírito a Deus, para receber a palma do vitorioso martírio.


blogger

Português ordenado sacerdote em Rito Tradicional na Suíça

No passado dia 8 de Dezembro - dia de Nossa Senhora de Conceição, Rainha de Portugal - foi ordenado em Coira (Suíça) o Padre Nuno Bastos, um querido amigo nosso. A cerimónia foi belíssima, como se pode constatar pelas fotografias. Foi uma Missa Pontifical no Trono, celebrada pelo Bispo de Coira, Mons. Vitus Huonder.

Dêmos graças a Deus por mais um sacerdote português e rezemos pelo Padre Nuno, e pela sua importante missão.
















Padre Nuno dá a bênção de novo sacerdote aos seus pais
Fotografias: Seminário de Wigraztbad - FSSP
Vídeos: Senza Pagare


blogger