quarta-feira, 29 de maio de 2019

Santa Missa na Patagónia





Missa Tradicional celebrada pelo Frei Guido Casillo, O.P., em 'Puerto Parru', um posto naval da Armada Argentina. O posto de 'Puerto Parru' encontra-se na cidade de Ushuaia, província da Terra do Fogo, Antártica e Ilhas do Atlântico Sul, e aí residem 4 militares.


blogger

O primeiro passo na busca da verdade é a Humildade

A carta 118 de Santo Agostinho é um texto dirigido a Dióscoro. No ponto 22 dessa carta, o Santo explica que sem humildade nenhum acção pode ser boa:

O primeiro passo (na busca da verdade) é a humildade. O segundo, a humildade. O terceiro, a humildade. Se a humildade não preceder, acompanhar e seguir cada boa acção que fazemos - sendo ao mesmo tempo o nosso objectivo, o nosso apoio e a nossa moderação -  o orgulho retira-nos qualquer boa obra pela qual nos congratulamos. Todos os outros vícios podem ser facilmente detectados quando os temos, mas devemos temer o orgulho mesmo quando fazemos boas acções.

Santo Agostinho in Carta 118, 22


blogger

terça-feira, 28 de maio de 2019

Cardeal Sarah visitou Notre-Dame: "Se querem levantar a Catedral fiquem de joelhos"

O Cardeal Robert Sarah visitou as obras de reconstrução da Catedral de Notre-Dame, em Paris, depois do violento incêndio que destruiu parte dessa catedral gótica. O Prefeito da Congregação do Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos fez depois um discurso no qual referiu o simbolismo de Notre-Dame e deixou uma mensagem aos sacerdotes do mundo inteiro: 


Queridos amigos, a Catedral de Notre-Dame tinha uma flecha que parecia um dedo que apontava para o céu. Essa flecha parecia orientar-nos para Deus. No coração de Paris, ela parecia dizer a cada um qual é o sentido último da sua vida.

Essa seta simbolizava a única razão de ser da Igreja: levar-nos a Deus, guiar-nos em direcção a Ele. Uma Igreja que não é orientada para Deus é uma Igreja que entra em colapso e morre.

Vocês querem levantar a Igreja? Então, fiquem de joelhos! Vocês querem levantar esta bela Catedral que é a Igreja Católica? Fiquem de joelhos!

Uma Catedral é, em primeiro lugar, um espaço onde os homens se podem ajoelhar. Uma catedral é um lugar para a presença de Deus no Santíssimo Sacramento.

Eu quero encorajar os padres. Eu quero dizer-lhes: amem o sacerdócio! Tenham orgulho em ser crucificados com Cristo! Não tenha medo do ódio do mundo! 

Eu quero mostrar o meu carinho como pai e irmão aos padres de todo o mundo! Desejo, diante de vós e com vocês, expressar o meu profundo afecto aos sacerdotes fiéis de todo o mundo! Desejo, diante de vós e com vocês, prestar homenagem a todos eles!

Queridos amigos, amem os vossos padres! Não lhes agradeçam pelo que eles fazem, mas pelo que eles são!


blogger

Quem quer ser santo faça estes exercícios piedosos ao longo dia

Um bom cristão, pela manhã, assim que desperta, deve fazer o sinal da Cruz, e oferecer o coração a Deus, dizendo estas ou outras palavras semelhantes: "Meu Deus, eu vos dou o meu coração e a minha alma".

Ao levantar da cama e enquanto nos vestimos, deveríamos pensar que Deus está presente, que este dia pode ser o último da nossa vida; ademais, devíamos levantar-nos e vestir-nos com toda a modéstia possível.

A um bom cristão, apenas se tenha levantado e vestido, convém pôr-se na presença de Deus e ajoelhar-se, se pode, diante de alguma devota imagem, dizendo com devoção: "Eu adoro-vos, meu Deus, e amo-vos de todo o coração; dou-Vos graças por me terdes criado, feito cristão e conservado nesta noite; ofereço-Vos todas as minhas acções, e peço-Vos que neste dia me preserveis do pecado, e me livreis de todo o mal. Ámen". 

E rezar depois o Pai-Nosso, a Ave-Maria, o Credo, e os Actos de Fé, de Esperança e de Caridade, acompanhando-os com um vivo afecto do coração.

O cristão, podendo, deveria todos os dias:

1º. Assistir com devoção à Santa Missa;
2º. Fazer uma visita, por breve que fosse, ao Santíssimo Sacramento;
3º. Rezar o terço do Santo Rosário.

Antes do trabalho, convém oferecê-lo a Deus, dizendo do coração: "Senhor, eu Vos ofereço este trabalho, dai-me a vossa bênção". Deve-se trabalhar para glória de Deus e para fazer a sua vontade.

Antes da refeição, convém fazer o sinal da Cruz, estando de pé, e depois dizer com devoção: "Senhor, abençoai-nos a nós e ao alimento que vamos tomar, para nos conservarmos no vosso santo serviço".

Depois da refeição, convém fazer o sinal da Cruz, e dizer: "Senhor, eu Vos dou graças pelo alimento que me destes; fazei-me digno de participar da mesa celeste".

Quando nos vemos atormentados por alguma tentação, devemos invocar com fé o Santíssimo Nome de Jesus ou de Maria, ou recitar fervorosamente alguma oração jaculatória, como, por exemplo: "Dai-me a graça, Senhor, de que eu nunca Vos ofenda"; ou então fazer o sinal da Cruz, evitando porém que as outras pessoas, pelos sinais externos, suspeitem da tentação.

Quando uma pessoa reconhece ou receia ter cometido algum pecado, convém fazer imediatamente um acto de contrição, e procurar confessar-se quanto antes.

[Quando fora da igreja se ouve o sinal de elevação da Hóstia na Missa solene, ou da bênção do Santíssimo Sacramento] é bom fazer, ao menos com o coração, um acto de adoração, dizendo, por exemplo: "Graças e louvores se dêem a todo o momento ao Santíssimo e diviníssimo Sacramento".

Ao toque das Ave-Marias [pela manhã, ao meio-dia e à noite], o bom cristão recita o Anjo do Senhor ["Angelus"] com três Ave-Marias.

À noite, antes de se deitar, convém pôr-se, como de manhã, na presença de Deus, recitar devotamente as mesmas orações, fazer um breve exame de consciência, e pedir perdão a Deus dos pecados cometidos durante o dia.

Antes de adormecer, farei o sinal da Cruz, pensarei que posso morrer esta noite, e oferecerei o coração a Deus, dizendo: "Meu Senhor e meu Deus, eu Vos dou todo o meu coração. Trindade Santíssima, concedei-me a graça de bem viver e de bem morrer. Jesus, Maria e José, eu Vos encomendo a minha alma’.

No decurso do dia pode-se invocar a Deus frequentemente com as orações breves que se chamam "jaculatórias". [Eis algumas:]

"Senhor, valei-me";
"Senhor, seja feita a vossa santíssima vontade";
"Meu Jesus, eu quero ser todo vosso";
"Meu Jesus, misericórdia";
"Sagrado Coração de Jesus, que tanto nos amais, fazei que eu Vos ame sempre e cada vez mais";
"Doce Coração de Maria, sede a minha salvação";

É muito útil recitar, durante o dia, muitas jaculatórias, e podem recitar-se também com o coração, ser preferir palavras, caminhando, trabalhando, etc.

Além das orações jaculatórias, o cristão deveria exercitar-se na "mortificação cristã". Mortificar-se quer dizer privar-se, por amor a Deus, daquilo que agrada, e aceitar o que desagrada aos sentidos ou ao amor-próprio.

Quando é o Santíssimo Sacramento levado a um enfermo, devemos, sendo possível, acompanhá-Lo com modéstia e recolhimento; e, se não é possível acompanhá-Lo, fazer um ato de adoração em qualquer lugar que nos encontremos, e dizer: "Consolai, Senhor, este enfermo, e concedei-lhe a graça de se conformar com a vossa Santíssima vontade e de conseguir a sua salvação".

Ouvindo tocar o sino pela agonia de algum moribundo, irei, se puder, à igreja orar por ele; e, não podendo, encomendarei a Nosso Senhor a sua alma, pensando que dentro em breve hei de encontrar-me também eu nesse estado.

Ao ouvir sinais pela morte de alguém, procurarei rezar um "De profundis" ou um "Requiem", ou um Pai-Nosso e uma Ave-Maria, pela alma desse defunto, e renovarei o pensamento da morte.  

in Catecismo Maior de São Pio X


blogger

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Peregrinação Paris-Chartres: O regresso à Tradição

Entre 8 e 10 de Junho muitos milhares de pessoas, na sua maioria jovens, percorrerão a pé os caminhos entre Paris e Chartres. Esta peregrinação contará pela primeira vez com um capítulo português cujas inscrições ainda se encontram abertas: Peregrinação Paris-Chartres: 
Vídeo: The Remnant Newspaper


blogger

Obstáculos à Vida Sobrenatural

1. Os obstáculos que ameaçam a existência ou crescimento da nossa vida sobrenatural podem resumir-se aos seguintes:

- O pecado mortal, que é o obstáculo radical, porque destrói por completo a vida divina da alma;
- O pecado venial, principalmente deliberado, a tristeza, o hábito do pecado venial deliberado, e as imperfeições: todos estes, sem destruir nem diminuir a graça da vida sobrenatural, empenha a sua beleza, debilita a sua actividade e freia o seu crescimento;
- As inclinações viciosas, os defeitos naturais, e principalmente o defeito dominante: são a fonte ordinária dos nossos pecados e imperfeições.

2. O pecado tem uma triple causa:

- A carne, que é a nossa natureza desordenada, na qual o pecado original deixou uma tripla concupiscência que nos arrasta ao pecado: a concupiscência dos olhos, o afã desordenado de bens e riquezas temporais; a concupiscência da carne, o afã desenfreado dos prazeres dos sentidos; e a concupiscência do espírito, o afã desmedido das honras e vontade própria;
- O demónio, que é o conjunto de anjos caídos que nos puxam ao pecado instigando a nossa tripla concupiscência por meio das tentações;
- O mundo, que é o conjunto de homens que se regem pela triple concupiscência, e de que o demónio se serve como de instrumento para conduzir as almas à eterna condenação, pelas suas falsas máximas, modas, escândalos, espectáculos, perseguições, etc.

3. Assim como para crescer na vida sobrenatural há que desenvolver o gérmen da vida que Deus estabeleceu nas nossas almas pela graça, assim também para protegê-la e defendê-la há que combater esse triplo gérmen de morte (mundo, demónio, e carne) por meio de uma luta enérgica, vigilante e contínua. A mortificação cristã é uma condição indispensável e necessária para conservar a vida sobrenatural no nosso presente estado de prova.

Padre José Maria Mestre - apontamentos 
Tradução: ASCENDENS


blogger

domingo, 26 de maio de 2019

O grave pecado da murmuração explicado por São Filipe Néri

São Filipe perguntou a uma senhora que, na confissão, se acusava frequentemente  de maledicência e murmuração: "Fala desse modo muitas vezes sobre as outras pessoas?" "Muitas vezes, Padre", respondeu a senhora. "Filha, o seu pecado é grave. É necessário que faça penitência. Vá até casa, pegar numa galinha e traga-a até mim, depenando-a ao longo da estrada.”

A mulher obedeceu e apresentou ao santo com a galinha depenada. "Agora", disse São Filipe, "volte pelas ruas de Roma e apanhe as penas da galinha uma a uma." "Mas é impossível, Padre", respondeu a senhora. "Com o vento já estão todas espalhadas, é impossível encontrá-las todas."

"Eu sei", concluiu o santo, "mas queria que entendesse que, tal como se espalham facilmente e incontroladamente as penas de uma galinha levadas pelo vento, também se espalham as falsidades e a sua murmuração em relação à vida das outras pessoas."


blogger

sábado, 25 de maio de 2019

Abade de Clear Creek celebra Missa Solene no Vale dos Caídos

O Abade do Mosteiro Beneditino de Clear Creek, situado em Oklahoma (Estado Unidos da América), celebrou uma Missa Solene no Vale dos Caídos, um memorial às vítimas da guerra civil espanhola (1936-1939) no qual se encontra também uma abadia beneditina. 

Dom Philip Anderson foi também um dos fundadores do Mosteiro de Clear Creek, que pertence à pertence à Congregação de Solesmes, como o Mosteiro de Fontgombault, em França. Os monges celebram exclusivamente no Rito Tradicional Romano.

Como é costume na abadia do Vale dos Caídos, as luzes da Basílica são desligadas durante a consagração, ficando apenas as luzes das velas.


blogger

Rádio Renascença publica texto a favor do aborto em certos casos


A Rádio Renascença publicou um texto do Henrique Raposo, um dos seus 'opinion makers', que me deu a volta ao estômago logo nas duas primeiras frases que li: «Impedir um aborto nos casos de violação e incesto é impor um mal sobre outro mal. É como impedir a legítima defesa num caso de homicídio.»

Isto está completamente ao contrário. Abortar para tentar "resolver" uma violação é que seria impor um mal sobre outro mal. A violação é um sempre um acto mau ex toto genere suo, quer isto dizer que não há qualquer possível boa intenção ou boas circunstâncias que possam justificar esse crime. Mesmo que disso dependesse salvar a vida de alguém esse acto continuaria a ser mau, injustificável e digno do castigo eterno. 

O sofrimento de uma mulher violada é indescritível e é mais do que natural a repulsa ao seu agressor. Ter um filho dele no seu ventre é o que menos quereria. Mas aquele filho também é dela. E não tem culpa dos pecados do seu pai. A "solução" apresentada por Henrique Raposo traduz-se por condenar à morte o filho pelo crime do pai. É nada menos do que a aplicação da pena de morte; não ao culpado, porque aplicar a pena de morte a um criminoso é "imoral" (dizem), mas ao inocente, que nada fez para merecer que lhe seja tirada a vida. Isto sim é impor um mal sobre outro mal. 

A analogia com a legítima defesa não faz qualquer sentido. A legítima defesa aplica-se quando existe um agressor injusto e quando os dois bens em causa são proporcionais, por exemplo: vidas humanas inocentes contra a vida do agressor. No caso de que falamos o bebé não é um agressor injusto, por isso a sua vida nunca poderia ser suprimida. Além disso os dois bens que estão em causa: uma vida humana contra um suposto alívio da mulher por não ter um filho de quem a violou, não têm o mesmo valor, nem sequer se aproximam.

Henrique Raposo faz um disclaimer, dizendo que é contra o aborto. Isto não é verdade, é contra o aborto em certos casos, que são a maioria, mas é a favor do aborto noutros casos, que ele próprio descreve. O cronista justifica as supostas "zonas cinzentas" na possibilidade de abortar com a frase: "só Deus é absoluto". Que só Deus é absoluto ninguém duvida. E por isso mesmo existe um mal absoluto no desrespeito da lei por Ele criada, na lei natural, que é a lei através da qual o homem conhece o que por sua natureza é honesto e necessário ao fim último e aquilo que lhe é contrário. 

Um dos preceitos dessa lei impede o homicídio voluntário de uma vida inocente. Este, tal como a violação, é um pecado grave ex toto genere suo, o que implica que não admite excepções. Nunca se pode matar um inocente, nem que daí dependesse a salvação de toda a Humanidade. E por isso mesmo é que o aborto é sempre um acto profundamente imoral e injusto. 

A Rádio Renascença, Emissora Católica Portuguesa, não pode publicar um texto escandalosamente contrário à doutrina Católica e à lei natural. A Rádio Renascença deve retirar imediatamente aquele texto, desmarcar-se publicamente do mesmo e fazer um pedido de desculpa aos seus leitores e a todos os católicos portugueses. 

Deixo aqui o e-mail, caso alguém queria enviar a sua opinião directamente à Emissora Católica Portuguesa: mail@rr.pt

João Silveira


blogger

Nem nós conseguimos destruir a Igreja

Durante as invasões napoleónicas, os exércitos franceses invadiam país atrás de país por essa Europa fora. Uma vez que a Igreja Católica era vista como uma ameaça, Napoleão disse ao Cardeal Ercole Consalvi, secretário de Estado do Papa Pio VII: 

- Vou destruir a vossa Igreja!

O Cardeal respondeu:

- Não vai conseguir!

O Imperador insistiu:

- Vou destruir a vossa Igreja!!

E o Cardeal explicou:

- Não é possível porque nem nós conseguimos fazê-lo. Se milhares de pecadores não a conseguiram destruir de dentro, como é que a vai destruir de fora?


blogger

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Papa Pio XII e a obstinação de Nossa Senhora

O Papa Pio XII ficou conhecido como o Papa de Fátima, tal a devoção que tinha às aparições de Nossa Senhora na Cova da Iria. Chegou a confidenciar a seriedade com que tinha acolhido a mensagem da Mãe de Deus: 

Estou obcecado pelas confidências da Virgem à pequena Lúcia de Fátima. Essa obstinação de Nossa Senhora diante do perigo que ameaça a Igreja é um aviso divino contra o suicídio que representaria a alteração da fé, na sua liturgia, na sua teologia e na sua alma. (...)

Ouço em redor de mim os inovadores que querem desmantelar a Capela Sagrada, destruir a chama universal da Igreja, rejeitar os seus ornamentos, fazê-la ter remorsos do seu passado histórico. Pois bem, (...) estou convicto de que a Igreja de Pedro deve assumir o seu passado ou então ela cavará a sua sepultura. (...)

Dias virão em que o mundo civilizado renegará o seu Deus, em que a Igreja duvidará como Pedro duvidou. Ela será tentada a crer que o homem se tornou Deus, que o Seu Filho é apenas um símbolo, uma filosofia como tantas outras, e nas igrejas os cristãos procurarão em vão a lâmpada vermelha em que Deus os espera. Como Maria Madalena, chorando perante o túmulo vazio, perguntarão: "Para onde O levaram?"

Cardeal Eugenio Pacelli, futuro Papa Pio XII, em declaração do ano de 1936. Monsenhor Georges Roche e Philippe St. Germain. ''Pie XII Devant l'Histoire''. Edit. Laffont, Paris, 1972, pp., 52–53


blogger

Peregrinação da Fraternidade de São Pedro a Espanha e Portugal

Alguns sacerdotes e seminaristas da Fraternidade Sacerdotal de São Pedro (FSSP) fizeram uma peregrinação por Espanha e Portugal, tendo visitado várias igrejas e santuários. Entre os sacerdotes encontrava-se o Padre Fernando António e entre os seminaristas o Manuel Pinho Sousa, ambos portugueses.

Rezemos pelo apostolado da FSSP em Portugal.
Quem considera a vocação sacerdotal, clique aqui: Quero ser Padre!
Málaga


Jerez


Sevilha




Córdoba

Fátima

Alcobaça


Braga


Lisboa



blogger

quarta-feira, 22 de maio de 2019

A Rússia já foi consagrada ao Imaculado Coração de Maria?

A Rússia foi consagrada ao Imaculado Coração de Maria, como a Santíssima Mãe pediu em Fátima? 

"Para evitar isto, virei pedir a consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração e a Comunhão reparadora nos Primeiros Sábados. Se os meus pedidos forem ouvidos, a Rússia converter-se-á e haverá paz; se não, ela irá espalhar os seus erros pelo mundo fora, causando guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados; o Santo Padre vai ter muito que sofrer; várias nações serão destruídas. No fim, o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre vai consagrar a Rússia a mim e ela converter-se-à e um período de paz será concedido ao mundo."

Maria diz que o Santo Padre vai consagrar a Rússia e que a Rússia se converterá. Vários Papas consagraram "o mundo" a Maria. O debate centra-se apenas sobre se consagrar "o mundo" é o mesmo que consagrar "a Rússia". Entretanto já se deram, pelo menos, 7 consagrações pelos Papas ao Imaculado Coração:

Lista das consagrações ao Imaculado Coração

1) A 31 de Outubro de 1942, o Papa Pio XII fez uma Consagração ao Imaculado Coração de Maria do mundo inteiro.

2) A 7 de Julho de 1952, o Papa Pio XII consagrou os povos da Rússia ao Imaculado Coração de Maria pela sua carta apostólica  Sacro Vergente Anno. Pio XII disse:
"Tal como há alguns anos Nós consagrámos a raça humana inteira ao Imaculado Coração da Virgem Maria, Mãe de Deus, também hoje Nós a consagramos e de uma forma especial Nós confiamos todos os povos da Rússia a este Imaculado Coração."

3) A 21 de Novembro de 1964, o Papa Paulo VI renova, na presença dos Padres do Concílio Vaticano, mas sem a sua participação, a consagração da Rússia ao Imaculado Coração.

4) A 13 de Maio de 1982 o Papa João Paulo II convida os bispos do mundo a unirem-se a si a consagrar o mundo e, com ele, a Rússia ao Imaculado Coração. Muitos não receberam o convite a tempo da viagem do Papa a Fátima, onde ele fez a consagração. A Irmã Lúcia diz mais tarde que não foram cumpridas as condições.

5) Em Outubro de 1983 o Papa João Paulo II, no Sínodo dos Bispos, renova a consagração de 1982.

6) A 25 de Março de 1984 o Papa João Paulo II, "unido com todos os pastores da Igreja numa ligação especial sob a qual constituem um corpo e um colégio", consagra "o mundo inteiro, especialmente as pessoas pelas quais, por virtude da sua situação, vós tendes um amor e solicitude particular."
A 29 de Agosto de 1989, a Irmã Lúcia afirma na sua correspondência que a consagração da Rússia "foi feita" e que "Deus manterá a Sua palavra."

Eventos seguintes:
9 de Novembro de 1989, Queda do Muro de Berlim
25 de Dezembro de 1991, Dissolução da União Soviética
26 de Julho de 2000, revelação do Terceiro Segredo de Fátima pelos Cardeais Bertone e Ratzinger

7) A 13 de Outubro de 2013 o Papa Francisco consagra o mundo ao Imaculado Coração.
A Rússia foi mesmo consagrada?

Apesar das consagrações distintas do mundo pelos Papas (uma mencionava a Rússia), as pessoas ainda debatem sobre se a Rússia foi especificamente consagrada como as instruções da Santíssima Virgem Maria em Fátima.

Os dois lados do debate

Aqueles que dizem que a Rússia não foi bem consagrada apontam dois problemas:

1) Os Papas não consagraram especificamente a "Rússia" em união com os bispos. É certo que o mundo foi consagrado e que a Rússia pertence ao mundo. A Rússia foi consagrada como parte de um grupo de nações, mas não especificamente. É a diferença entre um sacerdote abençoar a congregação em que vocês estão presentes e abençoar-vos a vocês especificamente por nome.

2) A Rússia está longe de se "converter" como Maria prometeu que ia acontecer se a consagração fosse feita. Se a Rússia estivesse mesmo consagrada, não se devia converter e não estaríamos a viver um "período de paz concedido ao mundo" tal como prometido por Maria? Como a Rússia não se converteu e como não estamos num período de paz, a consagração da Rússia, dizem eles, não aconteceu.

Aqueles que dizem que a Rússia foi consagrada apresentam duas provas:

1) A Irmã Lúcia disse que a consagração da Rússia foi feita pela acção do Papa João Paulo II a 25 de Março de 1984. Se alguém o sabia era a Irmã Lúcia, ela é que recebeu a mensagem de Maria.

2) A Santa Sé, na revelação do Terceiro Segredo a 26 de Junho de 2000, indicou que a consagração foi feita. A Irmã Lúcia, segundo parece, mostrou que concordava.
Como podem ver, aqueles que dizem que a Rússia não foi bem consagrada têm que dizer que a Irmã Lúcia, a receptora da mensagem de Maria, ou se enganou ou estava a fazer algum tipo de reserva mental para enganar todas as pessoas nesse assunto. É preciso dizer também que o Cardeal Ratzinger, o futuro Papa Bento XVI, teria usado uma discrição enorme para enganar o mundo neste assunto a 26 de Junho de 2000.

Por outro lado, não parece certo que a Rússia se tenha "convertido" como Nossa Senhora prometeu.

Independentemente de que lado estiverem, lembrem-se de que nós os leigos temos a nossa "responsabilidade de Fátima" - rezar o Terço todos os dias e manter a devoção dos Primeiros Sábados. Para mim pessoalmente, a "questão da Rússia" tem que incluir o abraço dos leigos ao Terço e verdadeira devoção a Maria. Ela deseja que os nossos corações sejam consagrados ao Sagrado Coração de Jesus através do seu Imaculado Coração. 

Taylor Marshall


blogger

terça-feira, 21 de maio de 2019

Um inimigo da Igreja na Paróquia do Campo Grande

O Padre Nuno Serras Pereira, mais uma vez, prestou um serviço público ao denunciar a promoção de José Manuel Pureza - um inimigo da Igreja Católica que insiste em dizer-se católico - na Paróquia do Campo Grande, em Lisboa, numa série de conversas que têm acontecido transformando um lugar sagrado numa sala de estar:

«Numa das Paróquias do Patriarcado, dentro da Igreja, fazem-se conversas públicas, estilo entrevistas televisionadas, num arremedo de estúdio, montado no presbitério. Ora as Igrejas são espaços Sagrados, onde se celebram os Sacramentos, em especial o Sacrifício Santíssimo da Missa, permanecendo a Eucaristia no Sacrário – Jesus Cristo verdadeira, real e substancialmente presente em Corpo, Sangue, Alma e Divindade, diante do qual se reza, se medita, se contempla e se adora. Cada vez mais banaliza-se o Sagrado, a transcendência do Mistério, o temor e amor reverencial a Deus.

Muito pior e verdadeiramente escandaloso (no sentido Teológico) foi uma dessas conversas com um político que se intitula católico e que é tratado como tal, mas que, no mínimo, não está em plena comunhão com a Igreja, pois é a favor do aborto, da eutanásia, dos impropriamente chamados casamentos entre pessoas do mesmo sexo, etc., etc.

Advogar a morte deliberada e directa de um ser humano inocente é repudiar radicalmente uma Verdade Revelada de Fé Divina e Católica. Esta Verdade, ou Doutrina, exige de todos os fiéis um assentimento de Fé teologal. Caso contrário cai em heresia.

Salvo melhor parecer, esta conversa na Igreja, parece-me confirmar a leviandade e a omissão do Patriarcado de Lisboa. É muito triste verificar tamanha irresponsabilidade e desvario.»

Além das muitas barbaridades proferidas naquela conversa, o deputado do Bloco de Esquerda - um partido que ataca todos os princípios defendidos pela Igreja - descreve Nosso Senhor Jesus Cristo como "um tipo que se dá com prostitutas"Este triste evento foi promovido pela Rádio Renascença, Emissora Católica, que pertence à Conferência Episcopal Portuguesa. Será que assistiremos a um pedido de desculpas por esta "imprudência"?

João Silveira


blogger

segunda-feira, 20 de maio de 2019

A importância do latim, segundo Pio XII

"O uso da língua latina vigente em grande parte da Igreja, é um caro e nobre sinal de unidade e um eficaz remédio contra toda corrupção da pura doutrina."

Papa Pio XII in Carta Encíclica 'Mediator Dei', 60


blogger

Alabama contra o mundo

O mundo está chocado porque o Estado do Alabama aprovou uma legislação sobre o aborto bastante mais restritiva do que o mundo está habituado. O aborto passou a ser proibido até em casos de violação. 

Muitas pessoas, especialmente figuras públicas, rasgaram as vestes (literalmente) com esta decisão, mas foi uma decisão bastante justa. Um bebé não pode ser assassinado pelo que fez o seu pai; cada pessoa é responsável pelos seus crimes diante da lei. Na March for Life, que acontece todos os anos em Washington, estão presentes, e dão testemunho, muitas pessoas que foram concebidas numa violação. Se tivessem sido abortadas não estariam ali, é tão simples quanto isto. Quem pode dizer que aquelas pessoas não deveriam existir? A violação é um crime horrível e um pecado muito grave, mas a dignidade das pessoas não depende do modo como foram concebidas.  

O aborto é sempre imoral, é sempre uma grande injustiça. Nunca se pode recorrer ao aborto, matando voluntariamente um bebé, mesmo para resolver um problemas graves, como por exemplo: problemas económicos, relações instáveis, falta de condições para educar um filho ou até malformação do bebé. 

Em caso de risco de vida para a mãe esta pode decidir entre prosseguir com tratamentos, que põem em risco a vida do seu filho mas são necessários para salvar a sua vida, ou não o fazer. Caso escolha os tratamentos médicos que visam preservar a sua vida essa mãe não está a desejar que o seu filho morra, não está a fazer um aborto. Se o filho morrer será uma consequência indesejada de um acto que é bom, isto é: tentar preservar a própria vida.

Quem defende a cultura da vida contra a cultura da morte deve ter isto bem presente. Não podemos fazer campanha a favor do aborto em "certos casos", como se esses bebés não tivessem direito à vida. Um filho de um violador também é vida humana; um bebé com malformações também é vida humana. O aborto é sempre um homicídio, por isso nunca pode ser defendido nem tolerado como se tratasse de um mal menor.

É normal que o mundo se choque com esta defesa "extremista" da vida humana. Mas alguma vez Nosso Senhor nos disse que deveríamos calar a verdade para não chocar o mundo?

João Silveira


blogger

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Terá o Patriarcado de Lisboa sido imprudente?


O Patriarcado de Lisboa retirou da sua página do Facebook um post sobre a posição de alguns partidos políticos portugueses em relação a diversas matérias consideradas relevantes para a “Defesa da Vida”, particularmente a proibição ou liberalização do aborto. Esse estudo foi realizado pela Federação Portuguesa pela Vida, que contactou todos os partidos sobre a posição de cada um em relação a essas matérias, e publicou os resultados dos partidos que responderam, omitindo os que não responderam ou cuja resposta não foi clara.

O Diário de Notícias, um jornal que, à semelhança da esmagadora maioria dos jornais, se dedica a promover a agenda ideológica contrária à doutrina da Igreja ficou deveras “preocupado” com aquela publicação, porque constituía um apelo ao voto em partidos que vão contra a doutrina social da Igreja. É sempre comovente ver um meio de comunicação social em agonia por um ataque à doutrina da Igreja. Alguém mais distraído poderia dizer que o Diário de Notícias estaria apenas preocupado com a apresentação da “Defesa da Vida” como critério a ter em conta pelos católicos em relação à sua posição de voto. Mas o jornal garante que estava apenas a zelar para que fosse respeitada a Doutrina Social da Igreja, daí ter abordado o Patriarcado para contestar aquela publicação.

O Patriarcado de Lisboa, num comunicado que se seguiu à remoção do post, disse o seguinte: "Admitimos que foi uma imprudência. Para o Patriarcado, é essencial que toda a gente tenha a possibilidade de discernir o seu voto."

Tenho para mim que aquela publicação não foi uma imprudência por ter retirado alguma capacidade de discernimento aos eleitores. Quando muito, o Patriarcado poderia dizer que foi uma imprudência publicar aquela informação sem a confirmação absoluta que os partidos que ali aparecem como defensores da vida defendem realmente cada um daqueles pontos, sem qualquer reserva. Ou poderia ter questionado a ausência do Partido Nacional Renovador (PNR), que, como é público, defende todos aqueles pontos. A Federação Portuguesa pela Vida afirma que não obteve qualquer resposta desse partido, mas isso poderia ter sido confirmado pelo Patriarcado antes da publicação.

De resto, não há qualquer imprudência ou imoralidade naquela publicação, nem é defensável que tenha representado uma recomendação de voto nalgum partido em especial. É dever do Patriarcado de Lisboa, e da hierarquia da Igreja Católica em geral, esclarecer que um católico que vote num partido que seja a favor do aborto está em pecado mortal. Por isso, nenhum católico pode votar no Partido Socialista (PS), Bloco de Esquerda (BE), Partido das Pessoas dos Animais e da Natureza (PAN), Coligação Democrática Unitária (CDU); nem sequer no Partido Social Democrata (PSD) nem no Aliança, enquanto não esclarecerem qual é a posição que têm em relação à dignidade da vida humana dos bebés que ainda não nasceram por se encontrarem no ventre das suas mães.

Essa publicação entretanto apagada serviria, mais que não fosse, para uma exclusão de partes. A partir daí cada pessoa poderia investigar os partidos que restam como passíveis de merecer o seu voto, excluindo, posteriormente, desses os que não respeitassem algum ponto fundamental da doutrina da Igreja.

É importante sublinhar que aborto e imigração são dois pontos totalmente distintos entre si. O aborto é um homicídio voluntário de um bebé inocente na fase mais frágil da sua vida. Quem faz um aborto não só comete um pecado gravíssimo como fica excomungado da Igreja. O aborto é sempre proibido, não há qualquer fim bom nem boa circunstância que o possa justificar. Ao passo que o acolhimento indiscriminado de imigrantes não é doutrina da Igreja. É verdade que os católicos são chamados à caridade, especialmente em relação aos que mais precisam, mas a entrada de imigrantes deve estar sempre sujeita ao risco que poderá representar para o bem-comum.

Dando um exemplo simples: Uma pessoa nunca pode matar outra em sua casa, a não ser que seja em legítima defesa. Mas pode recusar a entrada a alguém; ninguém é obrigado a receber toda a gente em sua casa. Claro que se a pessoa em questão precisar e o dono da casa a puder ajudar, sem riscos sérios para a sua família tem o dever moral de a acolher, e comete um pecado grave se não o fizer. Mas isso implica que se veja o caso concreto, não se pode dizer à partida que alguém que impediu outrem de entrar em sua casa tenha cometido uma injustiça.

É típico da má filosofia confundir em vez de distinguir. Infelizmente o pensamento dominante está baseado em filosofia do piorio.

João Silveira


blogger

quinta-feira, 16 de maio de 2019

A quem servem as passadeiras contra a "homofobia"?

Um cinto de segurança é normalmente composto por duas peças: uma macho e uma fêmea. O objectivo é óbvio, através do encaixe entre as duas peças a pessoa (ou mercadoria) fica segura. 

Há uns tempos, uma companhia aérea fez uma publicidade desastrosa na qual mostrava 3 modelos diferentes de cinto de segurança, supostamente de valor equivalente: um com duas peças macho, um com duas peças fêmea e um com uma macho e uma fêmea. A ideia era passar a mensagem que é indiferente com quem “encaixamos”. Mas era óbvio para qualquer pessoa que o macho não encaixava com macho nem a fêmea com a fêmea, por isso apenas o últimos dos 3 modelos de cinto de segurança permitia o encaixe, cumprindo desse modo o seu objectivo de protecção. A funcionalidade de um objecto criado para salvar vidas estava a ser posta em causa em nome da ideologia.

O mesmo se passa nas passadeiras contra a “homofobia”. As passadeiras normalmente são brancas de modo a contrastar com o asfalto, que é preto ou de cor escura. Pintar as passadeiras com as cores da bandeira LGBT é pôr em causa o objectivo das passadeiras em nome da ideologia. O mesmo se pode dizer de pintar com essas cores o asfalto que contorna as passadeiras. A funcionalidade do objecto passa para segundo plano porque a prioridade é impor a ideologia LGBT. Isto é assustadoramente claro quando se vê que uma destas “passadeiras” se encontra à porta de uma escola.

A ideologia que tenta negar a realidade, tratando de modo igual o que é diferente, não olha a meios para conseguir os fins. Não se importa minimamente que a segurança das pessoas esteja em risco ou de cometer uma ilegalidade desde que a sua bandeira seja publicitada. Até quando vamos permitir que essa bandeira de injustiça seja hasteada, para escândalo dos mais pequeninos?

João Silveira


blogger

quarta-feira, 15 de maio de 2019

São Tomás Moro e a vantagem de ser católico



blogger

A Greta da Emergência Climática

Já todos ouvimos o nome Greta Thunberg, a activista sueca de apenas 16 anos, que tem percorrido o Mundo alertando para os perigos das "alterações climáticas". O discurso de Greta é duro, acusa o Homem de provocar estas "alterações climáticas" e aponta para uma catástrofe iminente...o fim do Mundo! A activista sueca incitou os estudantes a fazerem greve de aulas todas as Sextas-Feiras, de modo a mostrarem aos "adultos" que devem mudar rapidamente as políticas que supostamente estão a provocar as ditas alterações.

Poucos ouviram a falar do nome Izabella Nilsson Jarvand, uma activista de 15 anos também sueca, que se tem manifestado contra o "globalismo". Izabella foi de megafone na mão para a frente dos edifícios estatais suecos apresentar as suas reclamações. O seu discurso consiste na defesa de políticas de defesa da Família, de luta conta a imigração descontrolada, contra a doutrinação LGBT e de Ideologia de Género, especialmente nas escolas, e contra o pensamento dominante que está a destruir o seu país e a civilização ocidental.

Ambas são suecas, ambas são muitos jovens e ambas têm um discurso forte. Mas por que razão Greta é mundialmente conhecida, tem sido promovida pelos meios de comunicação social e tem estado presente nos grandes palcos políticos ao passo que Izabella não? Por uma razão muito simples: Greta é útil à propaganda do marxismo cultural e Izabella é um obstáculo a essa propaganda, por isso aquela é aplaudida e esta é desprezada. Greta é politicamente correcta, Izabella é politicamente incorrecta. Greta tem de ser promovida a todo o custo, Izabella tem de ser silenciada a todo o custo.

Izabella é a anti-Greta. Sejamos nós os anti-'media'.

João Silveira


blogger

O suicida e o herói

Para que um soldado rodeado de inimigos consiga escapar tem de combinar um forte desejo de viver com um estranho desprendimento pela morte. Não pode apenas agarrar-se à vida, pois seria um cobarde e não escaparia. Não pode apenas esperar pela morte, pois seria suicídio e não escaparia. Tem de encontrar um espirito de furiosa indiferença perante a sua vida. Tem de desejar a vida como se fosse água e beber a morte como vinho.


Nenhum filósofo, parece-me, terá expressado este enigma romântico com lucidez adequada, eu certamente não o fiz. Mas o Cristianismo fez ainda mais: marcou os seus limites nas campas do suicida e do herói, mostrando a distância entre aquele que morre em nome da vida, e aquele que morre em nome da morte.

G.K. Chesterton in 'Ortodoxia'


blogger

terça-feira, 14 de maio de 2019

Educação Sexual: 6 mitos e 6 factos

Mito 1: Portugal tem a 2ª maior taxa de gravidez adolescente da Europa.

Facto 1: Portugal não tem a 2.ª maior taxa de gravidez adolescente. Piores, por exemplo, estão a França, a Dinamarca, a Suécia, a Noruega, a República Checa, a Islândia, a Eslováquia, o Reino Unido (mais do dobro de Portugal), e a Hungria (o triplo). Já agora, nos EUA, o maior consumidor e exportador de educação sexual, a taxa é 4 vezes maior que a portuguesa.

Mito 2: Os conteúdos de educação sexual são totalmente científicos.

Facto 2: A biologia da reprodução, infecções sexuais (IST) e contraceptivos são matérias leccionadas há décadas. Que transmite então a educação sexual? Uma espécie de revolução sexual tipo Maio de 68, mas para crianças. Num livro divulgado em todas as escolas, propõe-se que alunos de 12 anos debatam em aula as seguintes questões: «Já fingiste um orgasmo?», «Descreve-me a tua primeira experiência sexual», «Tens fantasias sexuais?», «O que te excita sexualmente?».

Mais de mil escolas compraram material que propõe: masturbação solitária, em grupo, mútua. No Minho, um professor foi punido por recusar usar um livro que, entre outras coisas, propunha às crianças desenhar o corpo e as partes onde gostam de ser tocadas. No mesmo livro diz-se que as crianças precisam de conhecer «o vocabulário médico (pénis, vagina, relações sexuais), calão (f..., con..., car...)».

Mito 3: A Educação Sexual está cientificamente fundamentada nas ciências da educação e psicologia. Ora, os pais não são técnicos.

Facto 3: Os materiais de educação sexual usam abundantemente os ‘jogos de clarificação de valores’ de Rogers/Coulson e os ‘dilemas morais’ de Kohlberg, cientistas famosos. E, de facto, os pais comuns desconhecem essas teorias. Mas note-se que Rogers/Coulson afirmaram ser muito perigoso expor crianças às suas teorias. E Kohlberg concluiu das suas experiências na Cluster School que «As minhas ideias estavam erradas. O educador deve transferir valores e comportamentos, e não apenas ser um facilitador ao jeito de Sócrates ou Carl Rogers». Que aconteceu, entretanto, na Cluster School? «Esta escola serviu para gerar ladrões, mentirosos e drogados, apesar de a escola ter apenas 30 alunos e contar com 6 professores e dúzias de consultores».

Mito 4: A eficácia da educação sexual, na prevenção da gravidez e do contágio de doenças, certamente foi avaliada cientificamente.

Facto 4: Não é verdade: na educação sexual escasseia o trabalho científico. Mais de 30 anos após o lançamento da educação sexual nas escolas dos EUA, Kirby tentou uma meta-análise sobre a eficácia dos programas e encontrou apenas 23 estudos com um mínimo de qualidade. Neste momento só é certo que: 1. Nenhum modelo é consensual; 2. Continua por provar que exista um modelo de ‘sexo seguro’ que diminua a gravidez adolescente e o contágio de ISTs.

Mito 5: A Educação Sexual deve ser obrigatória, tal como a Matemática é obrigatória.

Facto 5: A Matemática é obrigatória porque é exigida pela realidade. Um engenheiro precisa do cálculo diferencial, e por isso precisa de saber derivar. Quem opta por não ter Matemática a partir do 9º ano está a optar por não ser engenheiro. Mas quem prescinde do ‘Maio de 68 para crianças’ renuncia a quê? Às convicções sexuais do professor de Educação Sexual.

Mito 6: Os jovens têm actividade sexual e é preciso ajudá-los a praticar sexo seguro sem o risco da gravidez ou ISTs.

Facto 6: Qual é a segurança do ‘sexo seguro’? A OMS declarou, em 2005 e 2007, que os contraceptivos hormonais combinados são cancerígenos nos seres humanos (grupo 1, o máximo). Onde estão os materiais sobre ‘sexo seguro’ que referem isso? Quem informa as adolescentes de que o risco de desenvolver cancro é máximo em quem toma a pílula durante 4 anos antes da primeira gravidez de termo? E quem alerta quanto à ineficácia do preservativo para evitar o contágio de praticamente todas as IST? E quem diz às crianças que a intimidade sexual é muito mais que prazer, químicos e borrachas?

Mas os pais que não querem filhos expostos a estes riscos nada podem fazer. A partir desta altura haverá nas escolas gabinetes a proporcionar contraceptivos aos alunos sem conhecimento dos pais.

João Araújo (Professor Universitário) in Sol


blogger