terça-feira, 3 de agosto de 2021

Invenção de Santo Estêvão, Protomártir

A
Igreja instituiu esta segunda festa do Santo Protomártir Estevão para comemorar a descoberta (invenção) das suas relíquias junto às de Gamaliel, Habib e Nicodemos, pelo Padre Luciano, em Gamala da Palestina, em Dezembro do ano 415. No túmulo constava a inscrição “KEAYEA CELIEL”, que significa “Servo de Deus”. O Bispo de Lidda, avisado pelo Padre Luciano, esteve presente na exumação.

Chamamos também "invenção das relíquias", que é o facto do seu descobrimento, assim como também se diz “invenção da Santa Cruz” ou “invenção do Brasil”, significando, neste caso, descobrimento, achado.

Segundo um relato atribuído a Padre Luciano, fora revelado em sonhos, a ele e ao monge Migecio, o lugar onde podiam encontrar as relíquias do Santo Protomártir. Tendo sido descobertas conforme a revelação, foram solenemente trasladadas para Jerusalém pelo Arcebispo João, juntamente com os Bispos Eleutério de Sebaste e Eleutério de Jericó.

No dia 26 de Dezembro desse mesmo ano, as Relíquias foram transladadas para Sião. Naquela época havia uma grande seca e, no exacto momento da transladação do corpo, uma chuva copiosa regou a terra. Grande número de pessoas acompanhou o que podemos considerar a primeira procissão de Santo Estêvão.

No ano de 425, por intervenção do imperador Teodósio, o Jovem (408-450), as relíquias foram levadas para Roma, para a Basílica de São Lourenço Fora dos Muros, até ao dia 2 de Agosto, quando foram solenemente transferidas para uma igreja construída em honra do Protomártir Santo Estêvão.

Fragmentos destas relíquias foram distribuídos para vários lugares do mundo, o que contribuiu para a propagação da devoção a Santo Estevão.

Incontáveis milagres foram operados por Deus através da sua intercessão. Santo Evódio, bispo de Uzalum, na África, e Santo Agostinho (em A Cidade de Deus), deixaram-nos relatados muitos desses milagres.

Certamente, Deus se fez homem para curar os males temporais, pois, durante a sua vida mortal, curou os enfermos, libertou os possessos e socorreu aos necessitados, dando-nos uma prova sensível do seu poder divino e indicando que veio para nos livrar das enfermidades.

Depois da morte de Santo Estêvão por apedrejamento pelos judeus, o seu corpo não teve um sepultamento, mas foi atirado às bestas e aves, ao tempo. Gamaliel, um fariseu, membro do Grande Conselho, e doutor da lei e respeitado por todo o povo, tendo-se voltado para a Fé em Jesus Cristo como o Messias, aquele mesmo que saiu em defesa dos Apóstolos no Sinédrio (At 5, 34-40), na segunda noite após a morte de Estevão enviou pessoas da sua confiança para que encontrassem e lhe trouxessem o seu corpo, sepultando-o numa caverna - sua propriedade - não muito longe de Jerusalém. Mais tarde, Gamaliel fez-se baptizar com o seu filho Habib.

O segredo do lugar do sepultamento de Estevão foi deixado com Nicodemos, o discípulo que, durante a noite, visitava Jesus (Jo 3, 1-21; 7, 50-52; 19, 38-42). Depois de mortos, os corpos de Gamaliel e do seu filho Habib foram sepultados perto do lugar onde estava sepultado Estevão.

in Pale Ideas


blogger

1 comentário:

Anónimo disse...

Que lindo!